Mac Miller: Traficante não sabia a composição da droga vendida ao rapper; entenda

Em audiência, Stephen Walter confessou que não tinha ideia da composição da pílula

Redação Publicado em 02/12/2021, às 10h58

None
Mac Miller (Foto: Shooter / Media Punch)

Stephen Walter, responsável por vender as drogas a Mac Miller que resultaram na overdose do rapper, admitiu em julgamento que não sabia sobre a composição das pílulas de oxicodona com fentanil e revelou que não conhecia o artista, via NME.

Segundo relatos do New York Post, Stephen Walter disse ao juiz federal Otis D. Wright: "Fui acusado de vender pílulas azuis, pequenas pílulas azuis falsificadas de oxicodona... e não sabia o que continham. Eu não sabia, tipo, que havia fentanil nelas. Mas eu digo, sim, que ajudei e encorajei a transação."

+++LEIA MAIS: Mac Miller: Traficante que vendeu drogas ao rapper no dia da morte confessa culpa; entenda

Três homens, Stephen Andrew Walter, Ryan Reavis e Cameron JamesPettit, são os acusados pela distribuição de drogas ao rapper. Os três já haviam enfrentado antes acusações e pedidos de prisão, conforme relata a Rolling Stone EUA. Segundo documentos do tribunal, via NME, Walter originalmente forneceu a droga para Reavis, quem os entregou a Pettit, que, por fim, vendeu para Miller em 5 de setembro de 2018.

Na terça, 30 de novembro de 2021, Stephen Andrew Walter, 48, e Ryan Michael Reavis, 38, participaram de uma audiência e se declararam culpados pela venda de drogas ao rapper, que resultaram na morte do artista em 2018. Os dois falaram sobre a acusação de distribuição de fentanil.

+++LEIA MAIS: Pai de Mac Miller comemora prisão de traficante que supostamente vendia drogas ao rapper

Mais cedo neste ano, Stephen Walter havia concordado em confessar a culpa durante o julgamento. Segundo relatos da Rolling Stone EUA, Walter concordou com uma sentença de prisão de 17 anos.

Miller morreu de overdose acidental no dia 7 de setembro, aos 26 anos. A autópsia revelou, mais tarde, que havia também fentanil, cocaína e álcool no corpo dele. Depois da morte do rapper, o documento afirma que Walter, Pettit e Reavis continuaram traficando drogas.