Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Maestro João Carlos completa 75 anos e anuncia despedida da carreira

O maestro também contou à revista CARAS Brasil sobre sua turnê inspirada no universo Star Wars

Redação Publicado em 29/06/2023, às 16h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem Maestro João Carlos completa 75 anos e anuncia despedida da carreira

Um dos grandes nomes da música clássica brasileira, o maestro João Carlos Martins celebra 75 anos de carreira com uma turnê inspirada nos filmes clássicos de Star Wars. Em entrevista à CARAS Brasil, o músico celebrou a apresentação realizada no Teatro Santander, em São Paulo, nesta quarta-feira, 28, e também contou novidades que devem chegar nos próximos anos.

"Comecei minha primeira vida aos 8 anos de idade, porque comecei a tocar, então em 2023 estou celebrando 75 anos de carreira. Tive duas carreiras, primeiro, como pianista aos 8 anos, e depois como maestro aos 62. E aos 85 inicio minha carreira como educador musical, com a experiência que ganhei nestes últimos anos", revelou o maestro João Carlos.

Ele diz que pretende se aposentar daqui três anos, em 2025, e já tem a data do show de despedida. Sua última apresentação como maestro será em 5 de maio, no Credicard Hall, porém, ele garante que não será um adeus definitivo. "Vou dar uma de Pelé. De vez em quando vou reger uns concertos, mas carreira não mais."

Quanto ao show desta quarta-feira, o artista celebrou a oportunidade de conseguir reger a orquestra segurando uma batuta que imitava um sabre de luz, instrumento marcante da sequência de filmes. "Eu, com as minhas mãos, tenho dificuldade para segurar uma colher, quem dirá uma batuta. Mas consegui reger a marcha com a batuta verde", conta o maestro João Carlos.

Leia também: Carlos Tramontina revela que filha e genro ajudaram em nova fase da carreira

Ele afirma ser bastante fã dos filmes, e revela que sua orquestra para a turnê reúne de 65 a 85 músicos para as apresentações. O maestro ainda relembrou o encontro com o designer industrial Ubiratan Bizarro Costa, responsável pela criação de suas luvas biônicas, que o permitiram tocar novamente piano, após ter sido acometido pela distonia focal, doença considerada rara e sem cura e que afeta os movimentos das mãos.

"Ele que idealizou essas luvas biônicas que permitem que eu possa colocar os 10 dedos no teclado, o que eu não fazia desde 1998, quando dei o último concerto com as duas mãos em Londres. Aí eu só pude tocar com a mão esquerda por quatro anos, e, em 2002, tive que dar meu último concerto em Beijing, na China", completou o maestro João Carlos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!