Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Max Cavalera conta como decidiu tratar alcoolismo: 'Bebi sabonete'

Max Cavalera revelou que, se continuasse a usar álcool e drogas, teria apenas alguns anos de vida, segundo médicos

Redação Publicado em 20/06/2022, às 16h54

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Max Cavalera (Foto: Reprodução/ Instagram)
Max Cavalera (Foto: Reprodução/ Instagram)

Icônico integrante da banda Sepultura e irmão de Igor Cavalera, Max Cavalera comentou como tinha problemas com alcoolismo, além da decisão de tratar o vício após fazer algo inusitado: beber sabonete, segundo informações do Splash.

Durante participação no podcast Hardcore Humanism With Dr. Mike, o músico e também integrante de Cavalera Conspiracy e Soulfly revelou como bebeu sabonete após não encontrar bebidas alcoólicas - e foi flagrado pela esposa.

+++LEIA MAIS: Tal pai, tal filho: Max Cavalera prova que metal está no sangue da família em nova banda com caçula Igor ​[ENTREVISTA]

"Estávamos numa turnê europeia e eu queria muito beber, mas não tinha nada no ônibus. Então eu fui ao banheiro e bebi sabonete líquido," relembrou na conversa. "Fui pego. Minha esposa abriu a porta e eu estava com um galão de sabonete nas mãos. Ela perguntou: 'Que po*** você está fazendo?', e eu respondi: 'Estou bebendo sabonete. Preciso de ajuda.'"

Em seguida, Max Cavalera disse como Igor não usava drogas ou álcool, porque "se nós dois bebêssemos, nós dois estaríamos mortos." Além disso, o cantor recebeu avisos de médicos que, caso continuasse a usar essas substâncias, teria apenas poucos anos de vida - e chegou a ser internado em clínica de reabilitação.

+++LEIA MAIS: Max e Iggor Cavalera saem em turnê pela América Latina em comemoração aos 25 anos do disco Roots

Eu senti muita falta da minha família. Mas foi por isso que, nesse lugar, eu olhei ao meu redor e vi o que eu mais amo. Eu amo ficar louco, beber e usar drogas mais do que eu amo minha família e a música? Não, acho que não.