Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

MECA (Inhotim) 2023 traz diversidade musical e cultural com belas paisagens

Rolling Stone Brasil esteve nos três dias do evento; veja como foi

Daniela Mercury (Foto: @dynelle), obra de arte exposta no Inhotim (Foto: Felipe Grutter) e Tuyo (Foto: Felipe Grutter)
Daniela Mercury (Foto: @dynelle), obra de arte exposta no Inhotim (Foto: Felipe Grutter) e Tuyo (Foto: Felipe Grutter)

Em mais um ano, MECA (Inhotim) aconteceu com imersão em música, cultura e arte em um final de semana (e sexta-feira) bastante ensolarado no Instituto Inhotim, área cercada por vegetação com diversas obras de arte, na cidade de Brumadinho, Minas Gerais.

Criado como "apenas" um festival em Xangri-Lá, no litoral do Rio Grande do Sul, em 2010, MECA amadureceu ao longo do tempo e tomou forma mais complexa, e teve edições nos mais variados locais e cidades, como aeroporto militar, estação de trem desativada, Museu da Imagem e do Som (MIS) e Oficina Francisco Brennand.

+++LEIA MAIS: Daniela Mercury: 'Axé é amado pelo público de todo Brasil, mas pouco respeitado e compreendido por críticos' [ENTREVISTA]

Segundo Rodrigo Santanna, fundador e CEO do MECA, o evento é uma plataforma multicultural orgânica, responsável por "juntar música, arte, conhecimento e inovação." Isso é um dos pontos altos da edição de Inhotim.

Além de ser um local vasto, conta com belezas naturais admiráveis - e cada canto impressiona. Existem diversos animais silvestres que habitam o Instituto, como bem-te-vis, sabiá-laranjeira e até mesmo gansos que circulavam nas proximidades do palco principal, onde aconteciam os shows.

+++LEIA MAIS: Luedji Luna: 'Estamos fazendo história na música brasileira' [ENTREVISTA]

Não apenas as paisagens verdes, Instituto Inhotim conta com diversas obras de artes e exposições que você pode visitar, entre 9h30 e 16h30 (ou 9h30 e 17h30 nos finais de semana), antes dos shows, que se tornam a cereja do bolo nessa experiência.

Outra atividade proposta pelo MECA (Inhotim) são os talks, palestras que acontecem dentro da Igrejinha. A edição de 2023 chamou nomes como Chico Barney, Milly Lacombe, Bárbara Paz, Mônica Ventura, entre outros. Durante essas conversas, também ocorreram pocket shows, como de Ana Cañas, e exibições de filmes no auditório, como Belchior: Apenas um Coração Selvagem.

Igrejinha do Instituto Inhotim
Igrejinha do Instituto Inhotim (Foto: Felipe Grutter)
Parte de dentro da Igrejinha do Instituto Inhotim
Parte de dentro da Igrejinha do Instituto Inhotim (Foto: @dynelle)

+++LEIA MAIS: Queen: A verdade sobre Paul Prenter, agente que traiu Freddie Mercury

Os shows no MECA (Inhotim) 2023

Quando o Instituto Inhotim encerra atividades, MECA inicia shows em dois locais: os DJs no Palco Heineken e bandas e cantores no Palco Magic Square - e conseguia separar dois grupos completamente diferentes.

Ou seja, a galera que é mais da balada (e rolês desse tipo) marcavam presença no Palco Heineken, enquanto a turma apaixonada por shows ao vivo iam para Palco Magic Square, com uma gama mais diversa na faixa etária.

+++LEIA MAIS: Há 56 anos, Pink Floyd lançava seu primeiro álbum de estúdio "The Piper at the Gates of Dawn"

Ao todo, foram 10 DJs ao longo dos três dias: Bebela Dias, Zaidan, DISCO CREME, Aerobica, Jaka, Kingdom, Kabulom, Diogo Strausz, Lazara dosAnjos e Carol Mattos. Já o palco principal teve Melly, Rodrigo Amarante, Adriana Calcanhotto, Lamparina, L'homme Statue(Loïc Koutana & Zopelar), Tuyo, Las Ligas Menores, Luedji Luna, Daniela Mercury, Wealstarcks + FBC, Ana Frango Elétrico e Alto Da Maravilha(Russo Passapusso + Antonio Carlos & Jocafi).

MECA tem uma proposta que, muitas vezes, não é muito comum em outros festivais e, aliado com toda atmosfera do Intituto Inhotim, traz diversidade musical e cultural. Em 2023, terão edições em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

*Repórter viajou para Brumadinho a convite do festival