Morre Monarco, ícone do samba, aos 88 anos

Monarco morreu no último sábado, 11, devido complicações de uma cirurgia no intestino

Redação Publicado em 12/12/2021, às 12h27

None
Monarco (Foto: Reprodução /Twitter)

O ícone do samba Monarco, presidente de honra da Portela, morreu aos 88 anos no último sábado, 11, no Rio de Janeiro. O artista faleceu devido complicações de uma cirurgia no intestino, de acordo com O Globo.

Monarco estava internado no Hospital Federal Cardoso Fontes desde o mês de novembro e teve a morte confirmada pela família à TV Globo. Nas redes sociais, o perfil oficial do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela lamentou o ocorrido, assim como confirmou informações sobre a morte do sambista.

+++ LEIA MAIS: Zeca Pagodinho usa meme de Pulp Fiction: 'Procurando a vacina'

Nascido Hildemar Diniz, Monarco ganhou o apelido que carregaria para o resto da vida ainda na infância. Antes da adolescência, frequentou rodas de samba e, mais tarde, ingressou na Portela, onde atuou como compositor e diretor de harmonia.

Ao longo da vida, Monarco lançou quase 20 discos, entre eles, Portela Passado de Glória (1970) e Monarco de todos os tempos (2018). "Passado de Glória," "O Quitandeiro" e "Vai Vadiar" são algumas de suas composições mais famosas.

+++ LEIA MAIS: Consciência Negra: Péricles e Projota unem forças em 'Homem Invisível', samba-rap sobre origem e superação

Em 2005, foi homenageado pelo enredo "Monarco; Voz e memória do samba, um passado de glória," do Unidos de Jacarezinho. Três anos depois, protagonizou o documentário Mistério do Samba (2008), de Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor.

Monarco deixa a esposa, os filhos e os netos. O velório do sambista aconteceu neste domingo, 12, na quadra da Portela, e o enterro acontecerá no Cemitério de Inhaúma.

+++ LEIA MAIS: Inspirador, Zeca Pagodinho enfrentou medo de altura para fazer live: 'Teve que ir rezando no bondinho'