Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Música / ROCK

Ozzy Osbourne aceitaria fazer show em cadeira de rodas? Sharon responde

Assunto foi abordado por esposa e empresária do cantor, além da filha deles, Kelly, em declaração ao novo podcast The Osbournes

Ozzy Osbourne (Getty Images)
Ozzy Osbourne (Getty Images)

A saúde de Ozzy Osbourne tem sido um verdadeiro problema nos últimos anos. Diagnosticado com Parkinson, o vocalista também sofre de problemas crônicos na coluna e nos últimos tempos precisou até extrair um coágulo das pernas.

Ainda assim, ele sonha em voltar aos palcos. Sua última apresentação aconteceu no fim de 2018 e os compromissos posteriores foram todos anulados após ele perceber que, realmente, não conseguiria honrá-los. Uma aposentadoria das turnês chegou a ser anunciada, mas o artista logo voltou atrás. Confirmou um show no festival Power Trip para acabar cancelando meses depois.

Começaram a surgir rumores de que o Madman retomaria suas atividades sentado em uma cadeira de rodas. Contudo, sua esposa e empresária, Sharon Osbourne, garantiu que isso não irá acontecer.

Em declaração ao podcast The Osbournes(via site Igor Miranda), Sharon e a filha do casal, Kelly, refletiram sobre a atual condição do cantor. Kelly, por exemplo, revelou que conversar sobre o cancelamento no festival Power Trip é “assunto proibido” dentro de casa.

“Nós não podemos falar sobre o assunto em casa porque é devastador ver que tudo que ele quer é só mais um show.”

A chateação se estende ao fato de Ozzy simplesmente não poder compartilhar o palco com seus amigos de longa data que também se apresentarão no evento. Metallica, Iron Maiden, AC/DC, Tool e Guns N’ Roses foram confirmados, além do Judas Priest, que substituiu o artista. Sharon destacou:

Ozzy quer estar naquele festival com todos os seus amigos. É de partir o coração para ele ver todo mundo seguindo em frente e ele simplesmente foi deixado para trás.”

Em pé ou nada feito

A reflexão de Kelly Osbourne se estendeu a um possível formato: Ozzy poderia se apresentar em uma cadeira de rodas. Afinal de contas, segundo ela, o principal — que é a voz — segue bem.

“Ele poderia fazer isso agora se sentasse em uma cadeira. Porque a voz está lá, não há nada de errado com a voz.”

Contudo, ao cogitar essa hipótese, Sharon a interrompeu:

“Mas ele é contra essa ideia.”

A filha do casal, então, concluiu:

“Ele disse que se não puder dar aos fãs o que eles pagaram para ver, ele não fará isso.”

Sem parar

Isso não quer dizer, porém, que Ozzy Osbourne esteja completamente parado. Ele lançou dois álbuns nos últimos anos — Ordinary Man (2020) e Patient Number 9 (2022) —, participou do já mencionado podcast The Osbournes e ainda está para gravar um novo reality show com a família, Home to Roast.

O programa retrata a volta de Ozzy, Sharon, Kelly e Jack (outro filho do casal) ao Reino Unido após décadas morando nos Estados Unidos. Questões financeiras, como a alta nos impostos em território americano, e pessoais, a exemplo do desejo do artista em passar seus anos finais no país de origem, motivaram o retorno — que será televisionada por meio da emissora BBC.

Isso tem deixado o autoproclamado Príncipe das Trevas “profundamente nervoso”, conforme o próprio admitiu em declaração a seu programa no sistema de rádio pago SiriusXM (via Mirror). O artista relembrou que a versão televisiva de The Osbournes deixou sua família “louca”, por isso o receio. Hoje aos 74 anos e com uma série de problemas de saúde que o impedem de fazer shows e até mesmo caminhar, ele certamente não conseguiria lidar com situações como as vivenciadas no início do século 21.“Eu não sei como os Kardashians fizeram isso por tanto tempo - isso nos deixou loucos no final das contas. Não me arrependo de ter feito isso, mas depois de três ou quatro anos eu disse: ‘sabe de uma coisa… vamos acabar perdendo alguém porque isso está ficando louco demais’.”

Osbourne admitiu que seus próprios filhos pagaram o preço da superexposição. Ele ainda disse que o nível de fama adquirido pelo programa foi bem maior que o da vida como astro do rock.

“Existe a fama do rock and roll, que é bastante intensa, mas aquele nível do programa era simplesmente inacreditável. As crianças pagaram por isso. Todos acabaram usando drogas. Jack ficou sóbrio ainda durante o programa, Kelly e eu nos complicamos e Sharon ainda teve câncer.”

Diante de tantos pontos negativos, surge, então, a pergunta que não quer calar: por que Ozzy e sua família aceitaram se submeter a isso novamente? O cantor respondeu sem rodeios: foi uma forma de ajudar sua esposa, Sharon, a retomar sua carreira na TV após problemas nos últimos anos.

Ainda durante The Osbournes,Sharon entrou como jurada do talent show The X Factor. Depois, também se envolveu com o America’s Got Talent. Teve seus próprios programas no formato talk show. O último foi o The Talk, com o qual ela permaneceu até 2021.

Sua saída do The Talk foi recheada de polêmicas. Ao defender o amigo jornalista Piers Morgan após ele ter feito declarações racistas sobre Meghan Markle, mulher do príncipe Harry, Sharon se envolveu em uma discussão no ar com a também apresentadora Sheryl Underwood. Em meio a isso, surgiram acusações de que a esposa de Ozzy teria uma postura racista e homofóbica nos bastidores da atração televisiva, inclusive contra seus colegas.

Home to Roost ainda não tem data específica para estrear, mas deve chegar ainda em 2023 à BBC One. Serão ao todo 10 episódios.