Rolling Stone Brasil
Busca
Facebook Rolling Stone BrasilTwitter Rolling Stone BrasilInstagram Rolling Stone BrasilSpotify Rolling Stone BrasilYoutube Rolling Stone BrasilTiktok Rolling Stone Brasil
Música / ROCK

Por que os fãs mataram a indústria musical, segundo Gene Simmons

Opinião foi compartilhada pelo vocalista e baixista do Kiss em mais de uma ocasião ao longo dos últimos anos

Gene Simmons (Foto: Getty Images)
Gene Simmons (Foto: Getty Images)

Gene Simmons é um dos grandes críticos de como a indústria musical opera nos dias de hoje. O vocalista e baixista do Kiss afirma que todo o mercado fonográfico está “morto” — e, em sua avaliação, os culpados são os próprios fãs dos artistas e bandas.

O assunto foi abordado por Simmons mais de uma vez ao longo dos últimos anos. Uma das ocasiões se deu em 2018, durante um evento que teve uma sessão de perguntas e respostas. Conforme transcrito pelo Ultimate Guitar, o linguarudo mais célebre do rock disse que “a caixa de Pandora” foi aberta com o modelo atual, onde, em sua visão, fãs já não pagam mais pela música que consomem.

“Isso parte meu coração, porque as novas bandas não têm chance. Há muitos talentos por aí que nunca terão a chance. A grande banda agora é o Foo Fighters, mas eles têm mais de 20 anos. Os caras são mais velhos que sua avó, não são ‘banda nova’. Eles ainda vão existir por muito tempo, mas começaram antes do colapso das gravadoras. Depois deles, nenhuma banda conseguiu chegar ao ponto de esgotar ingressos em estádios.”

Conforme a reflexão se desenrolava, dava para notar que Simmons parecia se referir mais ao cenário do rock. Porém, há alguns argumentos que também se aplicam à música como um todo — como a fala apresentada abaixo:

“Isso acontece porque os fãs são os vilões. Porque foram eles que decidiram que não vão pagar por isso.”

Fãs ou fãs jovens, Gene Simmons?

Três anos depois, Gene Simmons abordou o tema em outra entrevista, agora à rádio Q104.3 (via site Igor Miranda). Ao comentar especificamente sobre o estado do rock atualmente, o vocalista e baixista citou as plataformas de streaming, que, em sua opinião, pagam muito pouco para os artistas.

“O rock morreu em todos os sentidos. E os culpados são os jovens fãs. Você matou aquilo que ama. Assim que o streaming chegou, você tirou a chance das boas bandas novas que estão nas sombras, que não podem largar seus empregos porque não ganham dinheiro com suas músicas. Quando você baixa algo, isso rende um centésimo ou milésimo de um centavo. Você precisa ter milhões ou até bilhões de downloads antes de ganhar alguns milhares de dólares. Os fãs mataram.”

Na visão do “Demon”, as próximas grandes bandas de rock não terão as mesmas chances que as antigas, como o próprio Kiss, tiveram.

“Esse negócio está morto. E isso significa que os próximos Beatles, ou o próximo quem quer que seja nunca terão a chance que nós tivemos. Tínhamos gravadoras que nos deram milhões de dólares para que pudéssemos fazer discos e turnês, e não nos preocuparmos com um trabalho formal, das 9h às 17h. Quando você está preocupado em bater ponto, você não tem tempo para se dedicar à sua arte.”