Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

El Mató a un Policía Motorizado amplia sonoridade no pessimista Súper Terror [REVIEW]

Súper Terror é sucessor de Unas Vacaciones Raras, vencedor do Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock em 2022

El Mató a un Policía Motorizado (Foto: Divulgação/Rock City)
El Mató a un Policía Motorizado (Foto: Divulgação/Rock City)

Existem muitas formas de enxergarmos o futuro, seja com amor, política ou até mesmo carreira. Algumas vezes, ao pensar demais em determinados assuntos, sofremos bastante por antecipação - e El Mató a un Policía Motorizado faz um ensaio parecido em Súper Terror, disco lançado nesta sexta, 7.

A banda argentina de indie rock, formada por Santiago C. Motorizado, Doctora Muerte, Pantro Puto, Niño Elefante e Chatrán Chatrán, ficou bastante conhecida pelo som mais triste. No entanto, em Súper Terror, o grupo aproveita para ampliar a sonoridade com uma pegada mais dançante, por mais que as letras te deixem bastante reflexivo. Veja a tracklist abaixo:

  1. "Un Segundo Plan"
  2. "Medalla de Oro"
  3. "Diamante Roto"
  4. "Tantas Cosas Buenas"
  5. "El Universo"
  6. "Coronado"
  7. "Voy a Disparar al Aire"
  8. "Moderato"
  9. "El Número Mágico"
  10. "El Profeta de Fuego"

+++LEIA MAIS: Janelle Monáe brilha com reggae sobre liberdade, sexo e amor em The Age of Pleasure [REVIEW]

O álbum não poderia abrir de maneira melhor. "Un Segundo Plan" consegue muito bem definir o tom que acompanhará as nove faixas seguintes do disco. A letra reflete sobre o futuro após um passado e presente um tanto quanto conturbados.

Depois de tanto caminhar / E veja os dias dourados passarem / É hora de um segundo plano / Depois de construir um altar / Sob uma noite fria de verão / É hora de um segundo plano / eu quero saber onde ir / quero saber quem devo seguir / Tudo aquilo que importa para mim / não há mais /Eu quero saber por quem morrer," canta.
Capa de Súper Terror, do El Mató a un Policía Motorizado
Capa de Súper Terror

Diferente de Unas Vacaciones Raras, antecessor de Súper Terror que venceu Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock em 2022, o novo álbum discorre de maneira mais natural, aproveitando bastante da sonoridade oitentista que se popularizou nos últimos anos, especialmente em "Diamante Roto."

+++LEIA MAIS: Marcelo D2 celebra samba e próprias raízes em IBORU [REVIEW]

"Eu perco a cabeça e não te conheço / Eu vou me ajoelhar e te dar tudo / Eu perco tempo esperando por seus sinais / Um diamante quebrado não importa para ninguém," diz a música. Esse tom se mantém por praticamente o disco todo, e só muda com a crise existencialista de "El Universo," a qual é acompanhada de voz e piano.

Agora que estamos feridos / nada pode nos machucar / lembra daquele primeiro beijo / Tão longe no tempo que talvez seja melhor esquecer / para o universo / Vamos a lutar / E as flores que você deixou, nem a imagem do seu riso / nada pode me machucar / Suas palavras não me machucam mais.

Outro tema recorrente é o amor, que permeia as dez músicas do álbum. Na maior parte das letras, El Mató a un Policía Motorizado canta sobre um amor que fracassou, responsável por trazer diversos traumas e arrependimentos.

+++LEIA MAIS: Em Casa com os Gil: Documentário exalta a família, o amor e poder da arte sem glamour de reality [REVIEW]

É muito interessante ver uma banda como essa conquistando cada vez mais espaço na música e angariando fãs do Brasil. Com uma certa mudança na sonoridade, El Mató a un Policía Motorizado conseguiu fazer um disco bastante autêntico com letras pessimistas e guitarras, baterias e baixos trazidos de uma época nostálgica.