Rolling Stone Music & Run: aos 10 anos, evento marca volta dos Titãs aos palcos, além de apresentações de Warriors e Davide Lo Surdo

A edição especial da Rolling Stone Music & Run comemorou uma década de evento, ao som de Titãs

Redação Publicado em 21/11/2021, às 20h01

None

A Rolling Stone Music & Run, corrida, reuniu no sábado, 20, milhares de pessoas vacinadas no Sambódromo de São Paulo. O evento, adiado pela pandemia, contou com maratonas de corrida e shows de Davide Lo Surdo, Warriors e Titãs

Como deve ser, Rolling Stone Music & Run alternou esporte e música. Foram três maratonas: corridas de 10 e cinco quilômetros, com premiação para os cinco primeiros colocados, e uma caminhada de três quilômetros. Todos os convites incluíam open bar de cerveja.

Depois do esporte, a música: Davide Lo Surdo e Warriors apresentaram-se duas vezes; na segunda, Titãs fechou a noite.

Os shows

Davide El Surdo, italiano de 22 anos, abriu o evento. Atualmente o guitarrista mais rápido de todos os tempos, a habilidade do garoto no instrumento impressiona. A mão viaja pelo braço, tão rápido que parece mentira. Em uma espécie de transe, tocou alucinadamente. O instrumento, sozinho, foi suficiente para encher o palco.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rolling Stone Brasil (@rollingstonebrasil)

 

Warriors animou a noite com covers de grandes bandas do rock. De nacionais (Capital Inicial e Inocentes) a internacionais (Beatles, Neil Young, Credence Clearwater e mais), o grupo apresentou uma compilação de hits para agradar todas as idades, tocar na nostalgia geral, e fazer todos cantarem.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rolling Stone Brasil (@rollingstonebrasil)

 

Titãs fecharam a corrida, com mais de uma hora de show. Uma das maiores bandas nacionais levou aos palcos clássicos de gerações: da emocionante "Marvin" à empolgante "Cabeça Dinossauro", a multidão cantou em uníssono. Fecharam a noite com "É Preciso Saber Viver," uma reflexão depois de quase dois anos de pandemia.

Branco Mello não pode comparecer. No último mês, o cantor e baixista passou por uma cirurgia para retirar um tumor na hipofaringe. O filho dele, Bento, entrou no palco para tocar guitarra e homenagear o pai.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rolling Stone Brasil (@rollingstonebrasil)

 

Segurança

Acontecendo em São Paulo (onde mais de 96% da população adulta tem duas doses da vacina contra Covid-19, de acordo com o prefeito, Ricardo Nunes), todos os corredores precisaram apresentar comprovante de vacinação para retirada do kit da corrida. Além disso, no palco, houve lembranças constantes de manter o distanciamento social.