Teatro Mágico: Fernando Anitelli conectou público com arte para sobreviver à quarentena [ENTREVISTA]

Fernando Anitelli, do grupo O Teatro Mágico, falou em entrevista à Rolling Stone Brasil como levou interatividade para o público com lives na quarentena

Redação Publicado em 26/11/2021, às 19h07

None
Fernando Anitelli do Teatro Mágico (Foto: Reprodução/Facebook)

Durante a pandemia de covid-19, diversos artistas tiveram de recorrer às novas formas de se comunicarem com o público, já que os shows foram interrompidos por tempo indeterminado. A solução encontrada por muitos foram as lives e o grupo O Teatro Mágico não ficou de fora dessa — no entanto, a forma como fizeram isso ganhou destaque entre as várias lives da quarentena.

“A pandemia foi devastadora, a gente não podia trabalhar,” disse Fernando Anitelli em entrevista à Rolling Stone Brasil. O líder do grupo formado em 2003 na cidade de Osasco, em São Paulo, explicou como O Teatro Mágico sempre foi conhecido por performances animadas e que permitiam uma grande interação com o público, mas a quarentena impossibilitou essas apresentações.

+++ LEIA MAIS: João Gomes e sua versatilidade artística: '​​Sou maluco por música, então escuto de tudo um pouco' [ENTREVISTA]

Para fazer com que o público sentisse que nada mudou, realizaram lives. Mas, diferente das apresentações musicais nas quais muitos artistas apostaram, Anitelli transformou essa experiência em uma conversa diária com os seguidores, onde falava sobre as notícias do dia, respondia comentários e apresentava uma música. Nada de cenário elaborado ou grandes efeitos por trás, apenas ele, um celular e os fãs.

“Era uma terapia, ler o que estava acontecendo, comentar sobre aquilo com bem-querer. Tentando ser luzente para a galera que estava assistindo aquilo tudo,” relembrou. “Enxergando uma possibilidade de caminho, iluminando o caminho para quem precisasse.”

+++ LEIA MAIS: Roberta Campos celebra sucesso do single 'Miragem', parceria com Natiruts, e novo disco: 'Superpositivo' [ENTREVISTA]

Durante as transmissões ao vivo, além de Anitelli, o músico convidava diversas pessoas para participar, das mais diferentes profissões. Isso atraiu cada vez mais público, o qual gostou da dinâmica e pediu para ver mais de O Teatro Mágico de uma forma intimista e interativa, como antes da quarentena.

Por conta disso, Anitelli resolveu expandir as lives para salas na plataforma do Zoom, onde o público podia conversar com o músico dos mais diversos lugares do mundo. Às vezes eram famílias, casais, pessoas que não se viam há meses por conta do isolamento social, todas conectadas por um espaço onde podiam falar sobre diversos assuntos, divertirem-se e compartilharem o seu trabalho, independente de qual fosse.

+++ LEIA MAIS: O Grilo e ansiedade para voltar aos palcos: 'Não faço ideia de como vai ser' [ENTREVISTA]

A chamada “Experiência Teatro Mágico” foi um verdadeiro sucesso e Anitelli garantiu que ela veio para ficar. Para um grupo que sempre prezou pela comunicação com o público, essa foi a saída perfeita para enfrentar um período difícil de uma forma mais leve e divertida. Confira a entrevista completa no canal da Rolling Stone Brasil: