Pulse

10 músicas do Charlie Brown Jr. em que o destaque é o baixo marcante de Champignon

Redação Publicado em 09/09/2013, às 11h23 - Atualizado às 12h19

Galeria – Melhores músicas de Champignon no Charlie Brown Jr. - Capa
Rogerio Motoda

“Papo Reto (Prazer É Sexo o Resto É Negócio”

Do disco Bocas Ordinárias (2002), a música pode ser vir como um cartão de visitas de Champignon. Preste atenção no solo dele, a partir do segundo minuto de música.


“Zoio de Lua”

Enquanto Marcão viaja com os efeitos na guitarra, Champignon sustenta a música com um riff poderoso e marcante.


“Tudo Que Ela Gosta de Escutar”

Mais um exemplo de como Champignon mantinha a base sólida para as viagens de Marcão com o pedal wah-wah. É o peso do baixo dele que aumenta de ritmo e transforma a música em um hardcore.


“O Coro vai Comê!”

Segunda faixa do primeiro disco do Charlie Brown Jr., Transpiração Contínua Prolongada, a música já mostrava o talento de Champignon em criar riffs independentes das linhas da guitarra, e fortes o suficiente para se sustentarem sozinhos quando necessário.


“Proibida pra Mim (Grazon)”

Um dos primeiros sucessos do Charlie Brown Jr. a estourar nas rádios, a faixa foi tema da novela Malhação e marcou o início da popularidade da banda entre os jovens.


“Confisco”

Logo no segundo disco da banda, Preço Curto... Prazo Longo, Champignon mostrava também as habilidades fazendo beat-box – enquanto toca baixo, diga-se de passagem.


“Rubão, o Dono do Mundo”

Em um dos clássicos mais hardcore do Charlie Brown Jr., a canção mostra o peso dos dedos de Champignon, que faz o baixo dele prevalecer diante das distorções das guitarras.


“Hoje Eu Acordei Feliz”

No disco 100% Charlie Brown Jr. - Abalando a Sua Fábrica, a banda estava no auge da popularidade. E Champignon, no auge da forma. Mesmo em uma música veloz como esta, ele encontrou uma ponte, no fim do terceiro minuto, para fazer um pequeno solo.


“Quinta- Feira”

Mesmo nesta versão do disco Acústico MTV, é possível ver a pegada de Champignon no baixo, destacando-se mesmo sem usar o instrumento elétrico.


“Não é Sério”

Baixo e guitarra trocam de função nesta canção que tem a participação de Negra Li. Enquanto as duas guitarras funcionam como base, Champignon preenche o espaço com um riff suingado.