10 milhões de músicas não venderam na rede

Estudo divulgado nesta semana aponta que dez milhões de 13 milhões de canções não foram compradas nas buscas da internet, no último ano

Da redação Publicado em 26/12/2008, às 16h55

Resultados de uma pesquisa feita pela Associação Mundial de Músicos e Compositores (MCPS-PRS Alliance) vão contra o que sugeriu nos últimos anos a teoria da cauda longa (de autoria do físico norte-americano Chris Anderson): a projeção de que o enfoque das vendas se transferiria para muitos produtos divididos em segmentos específicos, substituindo a venda em massa de somente alguns produtos.

Na contramão desta expectativa, o estudo da MCPS-PRS Alliance revela que as vendas de músicas na internet se sustentam diretamente em grandes hits musicais.

O pesquisador Andrew Bud refuta a tese da cauda longa com números de 2008: para o mercado online, 80% da receita de singles foram provenientes de somente 52 mil faixas. Para álbuns, segundo o pesquisador, dentre 1,23 milhão postos à venda, apenas 173 mil foram vendidos - o que significa que 85% do material, contado a partir de cópias únicas, não vendeu um único exemplar em todo o ano.

Segundo Bud, a enorme quantidade de "vendagem zero" entre músicas e discos na internet revelam a baixa do mercado sem os grandes hits.

"A ciência estatística foi usada para justificar a teoria da cauda longa como inteligente e plausível. Mas ela está errada. Os dados desta pesquisa [com vendas de música online] mostram um fim diferente para esta história. Agora, numa primeira análise, entendemos a realidade da demanda de música digital", postula Bud.