36 anos de ‘We Are The World’ - 5 curiosidades dos bastidores da gravação [FLASHBACK]

No dia 28 de janeiro de 1985, 51 músicos se juntaram para gravar a canção emblemática

Camilla Millan I @camillamillan Publicado em 28/01/2021, às 16h12

None
Gravação de "We Are the World” (Foto: Divulgação)

Na década de 1980, diversos artistas se mobilizaram com o objetivo de arrecadar fundos para acabar com a fome no continente africano, especialmente na Etiópia - e um dos marcos desse movimento de solidariedade foi a música “We Are The World”, gravada em 1985.

Na época, a ONU levantou o dado de que um milhão de etíopes morriam de fome por ano no país devido a cheias e guerras civis. Por isso, aconteceram grandes mobilizações. Em 1984, aconteceu o famoso Live Aid, evento que contou com o show icônico do Queen. No mesmo ano, também foi criado o Band Aid, união de músicos britânicos, incluindo Paul McCartney.

+++LEIA MAIS: O que foi 'We Are The World' e por que marcou a história da música?

“We Are The World” foi gravada em 1985 e contou com 51 artistas que se mobilizaram pela causa. A canção foi feita pelos músicos que formavam o USA for Africa, cujo significado é "Apoio dos artistas unidos pela África", segundo o Estadão.

Para relembrar a música icônica, a Rolling Stone Brasil separou 5 curiosidades sobre a gravação da canção:

Ideia inicial

Segundo o Estadão, a ideia da música surgiu um mês após o projeto Band Aid arrecadar R$ 56 milhões para ações sociais na Etiópia. O grupo, formado por mais de 40 artistas, incluindo McCartney, David Bowie e Phil Collins, lançou o single Do They Know It's Christmas? no dia 25 de novembro de 1984.

Em seguida, o músico Harry Belafonte falou com o empresário de mídia Ken Kragen sobre a ideia de “We Are The World”, e ambos convidaram Lionel Richie e Kenny Rogers para desenvolver o projeto. Em seguida, Stevie Wonder, o maestro Quincy Jones e Michael Jackson também toparam participar. 

+++LEIA MAIS: Fogos de artifício, queimaduras e indenização: o desastroso comercial de Michael Jackson para Pepsi [FLASHBACK]


Composição

A composição foi feita por Michael Jackson e Lionel Richie - Stevie Wonder também estava nos planos para compor, mas devido à agenda limitada, não conseguiu. De acordo com o Estadão, os dois músicos passaram uma semana inteira trabalhando letra e melodia. Contudo, posteriormente, La Toya, irmã de Jackson, revelou que ele foi o principal responsável pela canção.

Mesmo com toda a preparação, a música ficou pronta em 21 de janeiro, um dia antes da gravação inicial marcada no estúdio. Em 22 de janeiro de 1984, foi gravada uma voz guia para que os outros cantores pudessem entender o momento de entrar. A fita cassete foi entregue em 24 de janeiro, e quatro dias depois foi o momento de juntar todos os artistas.

+++LEIA MAIS: Stevie Wonder toca ao vivo primeiras músicas inéditas em 15 anos


Participantes 

No dia da gravação, de acordo com o Estadão, mais de 200 artistas queriam participar, mas 51 nomes foram selecionados. Além de Jackson e Richie, grandes nomes fizeram parte da iniciativa, como Stevie Wonder, Tina Turner, Billy Joel, Bruce Springsteen, Cyndi Lauper e Bob Dylan,Ray Charles, Willie Nelson e Diana Ross.

O único dos selecionados a não participar foi Prince, que tinha outros compromissos no dia da gravação. O registro da música aconteceu em 28 de janeiro de 1985, levou oito horas para ficar pronto e foi realizado no estúdio da A&M, na avenida La Brea em Los Angeles, Estados Unidos.

+++LEIA MAIS: O dia em que Bruce Springsteen 'invadiu' Graceland para conhecer Elvis Presley


Festa pós-gravação

Após a gravação, os artistas fizeram uma grande festa no estúdio da A&M que virou a madrugada. No dia seguinte, Lionel Richie falou sobre a comemoração dos artistas (via Estadão):  

"Foi uma noite agitada. Eu me comportava como um fã de todos aqueles artistas, e tenho certeza que muita gente fazia o mesmo. Mas a coisa mais importante da noite foi o que dizia um dos versos da música: tem gente morrendo", disse.

+++LEIA MAIS: Festeje como Prince: as 24 músicas favoritas do artista para uma festa [PLAYLIST]


Legado

O esforço coletivo dos artistas arrecadou US$ 100 milhões que foram enviados aos governos de diversos países da África, e a canção se consolidou como um exemplo importante de música política.

A mobilização com “We Are The World” foi inédita, e estabeleceu uma linha humanitária que artistas ao redor do mundo passaram a seguir. O fato de haver músicos negros e brancos envolvidos na gravação também foi marcante, pois mudou o cenário da produção musical que acontecia na época.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++ OS PIORES FILMES DE 2020 | ROLLING STONE BRASIL