4 coisas do mundo bruxo de Harry Potter que, realmente, não fazem sentido [LISTA]

Feitiços imorais e teletransporte são alguns dos temas mais problemáticos do universo mágico

Redação Publicado em 02/04/2020, às 08h13

None
Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1 (Foto: Reprodução Warner Bros.)

O universo mágico de Harry Potter possui diversas perguntas não respondidas, detalhes controversos e coisas que simplesmente não fazem sentido. A saga criada por J.K. Rowling apresenta um mundo paralelo de bruxos, seres que, muitas vezes, se consideram superiores aos trouxas, mas possuem problemas óbvios, os quais poderiam ser facilmente resolvidos com alguns debates entre as autoridades.

As leis do mundo bruxo é um dos principais problemas da franquia. Apesar de existir um Ministério da Magia e os mais diversos cargos para lidar com os processos legais, pequenas questões como o uso de feitiços e poções imorais e o teletransporte levantam suspeitas sobre a eficácia da instituição - e, consequentemente da narrativa. 

O site CBR  listou as principais questões polêmicas de Harry Potter e nós separamos quatro coisas que, realmente, não fazem sentido. Confira:

Feitiços e poções imorais, porém legais

No mundo bruxo, existem três feitiços considerados “Maldições Imperdoáveis”: Imperio, o qual possibilita a manipulação do enfeitiçado; Crucio, magia para torturar cruelmente alguém; e Avada Kedrava, que garante a morte imediata do oponente.

Porém, existem outros encantos que são tão imorais quanto as “Maldições Imperdoáveis”. A poção do amor, por exemplo, consegue controlar qualquer indivíduo independente da verdadeira vontade dele. Já o feitiço Obliviate permite apagar a memória de alguém - e não precisamos dizer que isso é extremamente polêmico. 

Ambos as magias são permitidas e podem ser realizadas por qualquer bruxo. O Ministro da Magia realmente nunca pensou em proibi-los?

+++LEIA MAIS: J.K. Rowling libera livros de Harry Potter para professores lerem para alunos durante quarentena de coronavírus


Teletransporte 

Enquanto magias questionáveis são permitidas, portais de teletransporte são ilegais. Os bruxos precisam de autorização para usarem chaves de portais para se locomoverem. Apesar de serem proibidos, os cidadãos conseguem usá-los quantas vezes quiserem, pois o objeto mágico retorna ao local inicial após teletransportar os indivíduos.

Por outro lado, o Pó de Flu é usado frequentemente pelos bruxos para se trafegarem instantaneamente. Qual a diferenças desses meios de transporte? Por que portais são proibidos? Usar portais e a Rede de Flu não é mais prático do que trens e carros voadores?

+++ LEIA MAIS: Harry Potter: teoria diz que Rony e Dumbledore são a mesma pessoa; entenda


A participação de Harry no Torneio Tribruxo

A participação de Harryno Torneio Tribruxo não faz sentido algum. Por que Dumbledore e o Ministro da Magia permitiram um garoto de 14 anos na competição? Eles nunca pensaram em uma cláusula para impedir situações desse tipo? Não era óbvio que era uma armadilha?

Além disso, vale lembrar a participação de Harry fazia parte do plano dos Comensais da Morte para ressuscitar Você-Sabe-Quem. Como os vilões tinham certeza que permitiriam Harry no Torneio? Não era mais fácil fazer um portal com qualquer outro objeto? Por que não usaram uma carta para teletransportar ele para o cemitério?

+++LEIA MAIS: 4 perguntas completamente sem resposta de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada [LISTA]


O vira-tempo

O vira-tempo apresenta muitas controvérsias. Apesar dos perigos das viagens no tempo, Hermione nos mostrou que é possível alterar o passado sem problemas. Então por que as autoridades do mundo bruxo não usam o objeto para salvar vidas inocentes ou desvendar crimes? Por que o vira-tempo só aparece quando Hermione precisa de mais tempo para estudar?

+++LEIA MAIS: Voldemort vs Darth Vader: quem é mais poderoso? [ANÁLISE]


+++ TRAVIS SCOTT: O HYPE EM TORNO DELE REALMENTE FAZ SENTIDO?