4 curiosidades sobre os filmes do Studio Ghibli: de boicote cristão a adaptação da Disney

Parte das produções dos estúdios entram no catálogo da Netflix dia 1º de fevereiro

Redação Publicado em 31/01/2020, às 16h30

None
A Viagem de Chihiro (esq.), Meu Amigo Totoro (acima) e Ponyo (abaixo) (Fotos: Reprodução / Ghibli)

A Netflix anunciou que todos os filmes do Studio Ghibli estarão no catálogo do serviço de streaming a partir do dia 1 de fevereiro - uma parte estreia neste sábado e outras produções serão lançadas mais tarde. 

O anúncio, feito no Twitter, veio acompanhado de um vídeo que reúne algumas das cenas mais clássicas dos filmes Ghibli - como A Viagem de Chihiro e Meu Amigo Totoro - e alcançou mais de 1 milhão de visualizações em cerca de três horas; quase 200 mil pessoas comentaram sobre o assunto.

+++LEIA MAIS: Guia do Studio Ghibli na Netflix: A Viagem de Chihiro e 11 animações imperdíveis [LISTA]

Estúdio Ghibli é um dos nomes mais renomados na animação mundial. Os filmes citados acima fazem parte do imaginário da cultura pop. Além disso, a empresa foge da mesmice do monopólio hollywoodiano dos cinemas, e oferece uma perspectiva singela de histórias. 

Assim, separamos 4 curiosidades sobre os filmes dos Estúdios:

+++ LEIA MAIS: BoJack Horseman, Hora de Aventura e outras 7 melhores animações da década de 2010 [LISTA]

Meu Amigo Totoro (1988)

O filme é inspirado na história do diretor Hayao Miyazaki, quando a mãe ficou hospitalizada por conta de uma tuberculose nos anos 1950.  


O Serviço de Entregas da Kiki (1989)

A história do filme foi baseada no livro da autora japonesa Eiko Kadono. Além disso, nos Estados Unidos, a produção foi adaptada em uma versão da Disney e sofreu boicote de cristãos conservadores - que disseram que os estúdios queriam ressuscitar a bruxaria. 


Porco Rosso: O Último Herói Romântico (1992)

Essa animação traz elementos da história e tem referência à Primeira Guerra Mundial e ao fascismo italiano de Mussolini


A Viagem de Chihiro (2001)

A Viagem de Chihiro é o único filme não americano a levar a estatueta de melhor animação no Oscar. Além disso, é a produção mais conhecida do estúdio e uma das melhores de Hayao Miyazaki.


+++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL