5 curiosidades sobre Back in Black, disco lendário do AC/DC

O álbum lendário foi lançado em 25 de julho de 1980 e marcou um recomeço para a banda

Redação Publicado em 26/07/2020, às 11h00

None
Back in Black (Foto: Reprodução)

O AC/DC lançou Back in Black, sétimo álbum de estúdio, em 25 de julho de 1980, há 40 anos. Com hits como "Hells Bells", "You shook me All Night Long" e a faixa-título, o disco foi o responsável pelo auge da banda.

+++LEIA MAIS: A história de Back in Black, contada pelo próprio AC/DC: assista ao primeiro episódio

O projeto também marca um recomeço do grupo. Back In Black foi o primeiro trabalho do AC/DC após a morte precoce do vocalista Bon Scott, aos 33 anos. O cantor faleceu em 19 de fevereiro de 1980 com uma intoxicação alcoólica aguda e após 5 meses o disco foi lançado.

Com a morte de Scott, o grupo australiano resolveu iniciar uma nova fase. Brian Johnson entrou como vocalista e compôs as letras marcantes das dez faixas do disco - uma homenagem intensa e fúnebre ao antigo vocalista. 

+++LEIA MAIS: Astronautas ouviram hit do AC/DC antes de decolagem histórica e Black Sabbath ao acordar no espaço

Para celebrar o disco icônico, separamos 5 fatos sobre Back In Black; confira:

Disco de rock mais vendido do mundo

Back in Black vendeu mais 51 milhões de cópias, sendo classificado como álbum de rock mais comercializado de todos os tempos. Na lista de discos mais vendidos do mundo, ele fica em segundo lugar, atrás de Thriller, de Michael Jackson.

+++ LEIA MAIS: Vocais isolados de Bon Scott em ‘Let There Be Rock’ mostram a potência do antigo vocalista do AC/DC; ouça


25 discos de platina nos EUA

Devido ao sucesso, era evidente que Back in Black receberia inúmeras certificações por vendas, mas os números impressionam. Apenas nos Estados Unidos, o álbum recebeu 25 discos de platina. 

A marca impressionante foi conquistada após a Recording Industry Association of America (RIAA) certificar que disco alcançou a marca de 25 milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos.

+++LEIA MAIS: Como foi a chegada do AC/DC aos Estados Unidos como completos desconhecidos


Gravação em local improvável

As gravações de Back in Black foram realizadas nas Bahamas. A banda australiana precisou ir até o país pois os estúdios que queriam na Inglaterra não estavam disponíveis - e acabou sendo um bom negócio devido à economia de dinheiro.

Segundo o site Tenho Mais Discos Que Amigos, apesar de parecer uma boa escolha, o país foi atingido por tempestades e furacões que prejudicaram o fornecimento de energia no estúdio. Assim, eles precisaram ir para outro local.

+++ LEIA MAIS: Como foi o último show de Bon Scott com AC/DC antes da morte precoce?


Ligação com Jimi Hendrix?

Devido ao problema de energia nas Bahamas, a banda e o produtor do disco, Robert John “Mutt” Lange, precisaram finalizar o álbum em Nova York. Para isso, o grupo utilizou o Electric Lady Studios, fundado por Jimi Hendrix

Lançado em 1970, o estúdio foi utilizado por grandes nomes da música. Led Zeppelin, Stevie Wonder, David Bowie, U2, Rolling Stones, Guns N’ Roses, Kiss, Lady Gaga, Lana Del Rey, Taylor Swift e até Marcelo D2 já passaram por lá.

+++LEIA MAIS: Em 1969, Jimi Hendrix explicou a importância da destruição no palco durante um show


Importância

O disco é considerado um dos principais lançamentos do heavy metal, auxiliando o gênero a restabelecer a popularidade global na década de 1980. Além disso, o álbum é interpretado como um dos responsáveis por introduzir o metal a uma geração mais jovem, sendo uma importante influência para as geração seguinte de bandas de rock, punk-metal e outros. 

+++ LEIA MAIS: AC/DC: Homenagem a Bon Scott fecha a rodovia australiana conhecida como “Highway To Hell”


+++ FREJAT: O DESAFIO É FAZER AS PESSOAS SABEREM QUE O DISCO EXISTE