5 curiosidades dos bastidores de 300, de Zack Snyder: 'This is Sparta' foi improviso e mais

Estrelado por Gerard Butler, o filme de 2006 narra a Batalha das Termópilas de forma surpreendente

Redação Publicado em 30/03/2020, às 13h59

None
Gerard Butler como Rei Leônidas em 300 (Foto: Reprodução)

300 é o filme no qual  Zack Snyder estabeleceu seu estilo visual característico - com cores saturadas, storyboards e câmera lenta durante as cenas de luta - colocando-o em boa posição para comandar blockbusters de Hollywood nos próximos anos. 

+++LEIA MAIS: Os 10 melhores filmes de ação que nunca tiveram sequências: A Origem, Goonies, Dredd e mais [LISTA]

Embora seja muito franco sobre o fato de que a narrativa da Batalha das Termópilas é proveniente de um narrador não confiável, 300 foi tão bem-sucedido que muitos o tomaram como religioso.

+++ LEIA MAIS: Goonies e Gremlins existiam no mesmo universo cinematográfico, como se fosse a Marvel; entenda

Confira, abaixo, 5 curiosidades dos bastidores de 300, de Snyder

A Warner Bros. queria que 300 fosse um filme para pré-adolescentes

Embora a HQ de Frank Miller também seja sangrenta, a Warner Bros. queria que o filme fosse classificado para maiores de 13 anos (PG-13 nos Estados Unidos). Assim, eles teriam uma bilheteria maior ou parecida com a de Sin City - A Cidade do Pecado, que arrecadou um total de US$ 74 milhões em 2005.

Contudo, quando ZackSnyder assinou o contrato, ele lutou para que 300 fosse, enfim, classificado para maiores de 16 anos (R nos Estados Unidos). A Warner acabou cedendo e se surpreendeu quando arrecadaram mais de US$ 200 milhões.

+++LEIA MAIS: 6 filmes de terror tão bons que nunca deveriam ganhar um remake - O Iluminado, Os Pássaros e outros [LISTA]


O pai de Leônidas foi interpretado pelo dublê de Gerard Butler

O pai de Leônidas tem mais do que uma simples semelhança com ele, mas isso porque o ator contratado para interpretá-lo também era dublê de Gerard Butler. A versão mais jovem de Leônidas, por outro lado, foi interpretada pelo filho de ZackSnyder.

Quando o Leônidas da vida real morreu, ele tinha 60 anos. Enquanto isso, Butler não estava nem perto dos 60 anos quando o interpretou, mas essa é apenas uma das imprecisões históricas encontradas em 300.

+++LEIA MAIS: 7 filmes adiados por causa do coronavírus - Velozes e Furiosos, Lugar Silencioso e mais


Os atores passaram por um treinamento exaustivo de dois meses

Como o roteiro ordenava que os membros do elenco estivessem sem camisa em quase todas as cenas, os atores foram submetidos a um treinamento exaustivo por oito semanas antes das filmagens. O regime foi criado por Marc Twight, um alpinista profissional, e os atores nunca fariam o mesmo exercício duas vezes para que o corpo não se acostumasse. 

GerardButler revelou que o treinamento para 300 foi a coisa mais difícil que ele teve que fazer na vida. Depois, Twight confessou ter pressionado a equipe mais do que ele já havia pressionado alguém antes, inclusive ele mesmo.

+++LEIA MAIS: Os Simpsons ‘previu’ coronavírus - e até que Tom Hanks ia ficar de quarentena


A frase "This is Sparta!" foi improvisada

No roteiro original de 300, a frase “This is Sparta!” (“Isso é Esparta”, em português) não era berrada. Nos quadrinhos, ela é dita severa, mas calmamente. GerardButler tentou dizê-la dessa forma, mas não sentiu tanto impacto. Depois, ele gritou “THIS IS SPARTA!” com muito, mas muito fôlego - e ZackSnyder adorou.

+++LEIA MAIS: Ministério da Saúde e casas de shows ainda não têm planos para lidar com coronavírus em grandes eventos


Os cineastas preferiram telas azuis do que as verdes

Dos 1.523 cortes apresentados em 300 , mais de 1.300 contêm efeitos visuais (VFX). Ao todo, o filme contém um total de 8.631 VFX. 

A equipe usou telas azuis na maioria das cenas, pois eram mais adequadas à iluminação que eles projetaram na pré-pŕodução. Ainda, as capas vermelhas dos espartanos fotografaram melhor contra um fundo azul do que um fundo verde. As telas azuis foram utilizadas em 90% das tomadas, enquanto as telas verdes foram utilizadas em 10%.

+++LEIA MAIS: Coronavírus pode custar mais de R$ 22 bilhões à indústria cinematográfica mundial; entenda

 


+++ TRAVIS SCOTT: O HYPE EM TORNO DELE REALMENTE FAZ SENTIDO?