5 motivos para assistir Ragnarok, série sobre mitologia nórdica da Netflix [LISTA]

Ragnarok, da Netflix, mistura mitologia tradicional com problemas atuais em série ambientada na Noruega

Marina Sakai (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 13/06/2021, às 11h00

None
Elenco de Ragnarok, série sobre mitologia nórdica da Netflix (Foto; Divulgação/Netflix)

Ragnarok estreou na Netflix em 2020 e, inspirada em mitologia nórdica, conta a história do Thor moderno. Diferente da narrativa da Marvel, a produção retrata o Deus do Trovão no conflito contra os Jotun, ou gigantes. Os vilões sempre estiveram presentes na terra, e são responsáveis pela maioria dos conflitos humanos; neste caso, o aquecimento global.

Magne Seier (David Stakston) é um adolescente disléxico e com dificuldade de fazer amigos quem se muda para uma nova cidade com a mãe e o irmão, Laurits (Jonas Strand Gravli). Na pequena cidade de Edda, na Noruega, Magne descobre o verdadeiro destino e passa por um longo processo até entender como usar os poderes para o bem.

+++LEIA MAIS: Conheça Ragnarok: série da Netflix Thor, Loki e mitologia nórdica realistas

A série ganhou uma segunda temporada em 27 de maio de 2021. Pensando nisso, confira cinco motivos para assistir Ragnarok:


Mitologia

Ragnarok, na mitologia nórdica, significa a catástrofe e o fim dos tempos. A série resgata as histórias verdadeiras de Thor, Loki, Odin, Freya, os Vikings e os gigantes se mantendo fiel às lendas originais. 

+++LEIA MAIS: Tudo o que sabemos sobre Wednesday, série da Netflix sobre Wandinha Addams [LISTA]

No entanto, também se mantém verdadeira aos tempos atuais. Apresenta os personagens de forma moderna — mostra a perda de contato dos humanos com as lendas e a humanidade dentro dos gigantes, os quais cada vez mais se distanciam da própria natureza.


Noruega

Ragnarok é apenas a segunda série em língua norueguesa da Netflix, depois de Namorado de Natal (2019). É uma ótima oportunidade de explorar a cultura e idioma do país, entender como são as escolas, costumes e vida em uma cidade pequena em um dos países mais desenvolvidos do mundo. 

+++LEIA MAIS: Os 58 lançamentos da Netflix para junho de 2021: Infiltrado na Klan, Minha Mãe é Uma Peça, Elite, Carnaval e mais [LISTA]

Além disso, a fotografia e paisagens incríveis dos fiordes e geleiras constroem a estética da produção.


Discussões

Toda a trama inicial da série é baseada nas Indústrias Jutul, empresa da família mais influente de Edda, os Jutul, que também são os gigantes. Ao longo dos milênios, foram responsáveis pelos conflitos humanos, como guerras, pragas e, atualmente, o aquecimento global.

+++LEIA MAIS: 3 motivos para assistir (e 3 para não assistir) Oxigênio, novo suspense da Netflix [LISTA]

O debate sobre mudança climática e contaminação das águas permeia toda a série. É um bom jeito de incluir temas importantes em uma história fantasiosa.


Desenvolvimento

As duas temporadas têm seis episódios cada e, ao longo da trama, todos os personagens passam por desenvolvimento e reviravoltas. O caso de Magne é o mais expressivo: precisa aprender a lidar com os novos poderes e responsabilidades, entender como os conceitos de bem e mal se encaixam em uma situação de guerra.

+++LEIA MAIS: De Erased a The Midnight Gospel: 6 animações adultas para assistir na Netflix [LISTA]

Fjor Jutul (Herman Tømmeraas), gigante e herdeiro das Indústrias Jutul, também precisa decidir o próprio caminho depois de se apaixonar por Gry (Emma Bones), uma simples humana.


Final

Para quem gosta de um final inconclusivo, Ragnarok é a série perfeita. A primeira temporada acabou completamente em aberto, e o conflito principal não fora resolvido mas, por sorte, a segunda parte já está disponível e resolve muitas dúvidas. 

+++LEIA MAIS: Tudo que sabemos sobre 1899, nova série dos criadores de Dark: elenco, sinopse e mais


Assista ao trailer de Ragnarok:


+++ SUPLA | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL