56 anos sem Cecília Meireles: as 3 maiores contribuições da poetisa para o Brasil

Ela também era jornalista, pintora, escritora e professora

Redação Publicado em 09/11/2020, às 12h05

None
Cecília Meireles (Foto: Autor desconhecido/Wikimedia Commons)

No dia 9 de novembro de 1964, no Rio de Janeiro, morria Cecília Meireles aos 63 anos, após batalha contra um câncer que se manifestou no estômago. Ela era poetisa, jornalista, pintora, escritora e professora, e teve grande destaque na literatura do Brasil, com mais de 50 trabalhos publicados.

Meireles sempre se mostrou lutar pela literatura infantil. Quando atuava como jornalista entre os anos de 1930 e 1931 (via InfoEscola), ela escreveu artigos e matérias que falavam e denunciavam sobre problemas na educação brasileira.

+++LEIA MAIS: Detonautas debocha de fake news bolsonaristas em nova música didática; ouça 'Kit Gay'

A escritora nasceu no dia 7 de novembro de 1901 na cidade de Rio Comprido, Rio de Janeiro. Ela era filha de Carlos Alberto de Carvalho Meireles e Mathilde Benevides Meireles, mas ficou órfã dos pais aos três anos de idade e passou a ser criada pela avó materna, Jacinta Garcia Benevides.

Veja abaixo as 3 maiores contribuições de Cecília Meireles para o Brasil.


Leitura infantil

De acordo com o artigo As contribuições de Cecília Meireles para a Leitura e Literatura Infantil, escrito por Cristiane Silva Méllo e Maria Cristina Gomes Machado, Cecília Meireles sempre falava sobre a necessidade de apresentar e dar livros de qualidade às crianças.

+++LEIA MAIS: Capitu investigadora, Juca Pirama mago e mais: conheça A Todo Vapor, série que transforma literatura brasileira em steampunk [ENTREVISTA]

Para a jornalista, através da boa literatura, as crianças passam a ter um melhor desenvolvimento das habilidades de leitura, assim como as intelectuais. Meireles ainda falava sobre oferecer às crianças livros variados com valores poéticos, científicos e morais.


Fundou a primeira biblioteca infantil no Rio de Janeiro

Como dito anteriormente, a poetisa batalhava pela educação, leitura e literatura infantil, seja como escritora ou jornalista. No ano de 1934, Cecília Meireles fundou a primeira biblioteca infantil da cidade do Rio de Janeiro, de acordo com o InfoEscola.

Porém, a instituição - a qual contava com atividades com cinema, música, jogos e cartografia - durou apenas quatro anos.

+++LEIA MAIS: Acredite: David Duchovny, astro de Arquivo X, lança música sobre política


Real Gabinete Português de Leitura

Como apontado pelo site, no ano de 1942, Meireles virou sócia honorária do Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro, biblioteca e instituição cultural lusófona. Por conta dessa nomeação, a jornalista realizou diversas conferências sobre Literatura, Educação e Folclore. Ela chegou a viajar para Ásia, África e Europa - e países como Estados Unidos.


+++ TERNO REI | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes