6 conquistas históricas de mulheres no Grammy

Relembramos as maiores conquistas feitas por mulheres na premiação, desde a primeira até a última edição

Redação Publicado em 19/01/2021, às 17h40

None
Cardi B no clipe de 'WAP' (Foto: reprodução/ Youtube) e Billie Eilish (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

Em 2020, o Grammy bateu recordes de diversidade ao apresentar os indicados da 63ª edição. Pela primeira vez na história, todos os concorrentes das categorias de Melhor Performance de Rock e Melhor Álbum de Country são mulheres ou grupos liderados por mulheres, segundo informações do site oficial da premiação. Além disso, as artistas femininas também dominaram a categoria de Artista Revelação.

Mas nem todas as edições da premiação foram marcadas pela inclusão. Em 2018, o Grammy foi alvo de diversas críticas após entregar apenas um prêmio solo para uma mulher - Alessia Cara venceu a categoria de Artista Revelação. 

+++ LEIA MAIS: Após acusação de sexismo, Grammy 2019 abre espaço para as mulheres; veja os indicados

Na época, a web foi tomada pela hashtag #GrammySoMale, em tradução livre, #GrammyTãoMasculino, e o presidente da Recording Academy Neil Portnow disse que as mulheres deveriam tomar uma atitude se quisessem ganhar. Pouco tempo depois, Portnow pediu desculpas e foi substituído pela primeira presidente da academia, Deborah Dugan

Mas não é difícil perceber a falta de diversidade em outras edições do Grammy. Por isso, é importante celebrar as conquistas das mulheres nas premiações musicais, que refletem a desigualdade da indústria fonográfica. 

Pensando nisso, a Rolling Stone Brasil relembrou seis conquistas históricas de mulheres no Grammy. Confira: 

Ella Fitzgerald: Primeira mulher a vencer mais de um prêmio 

Na primeira edição do Grammy, Ella Fitzgerald foi a primeira mulher a vencer mais de um prêmio na cerimônia. A artista levou duas estatuetas: Melhor Performance Vocal Feminina e Melhor Performance de Jazz Individual.

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 músicas para entender a trajetória de Haim, banda indicada a Melhor Álbum


Judy Garland: Primeira mulher a vencer uma categoria principal 

Em 1961, Judy Garlandfez história e se tornou a primeira mulher a vencer uma das categorias principais do Grammy. De acordo com o site oficial da premiação, a artista levou a estatueta de Álbum do Ano com Judy At Carnegie Hall.

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: Conheça Jhené Aiko, indicada a Álbum do Ano com Chilombo


Whoopi Goldberg: Primeira mulher a apresentar a cerimônia

Em 1992, a atriz e comediante Whoopi Goldberg foi a primeira mulher a apresentar a cerimônia do Grammy.

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: Conheça a carreira de Dua Lipa, uma das principais indicadas à premiação


Beyoncé: Artista feminina com mais indicações 

Entre os artistas com mais indicações na história do Grammy, está Beyoncé. Em 2020, a estrela foi indicada para nove categorias e acumulou 79 nomeações no histórico. Assim, a cantora assume o segundo lugar do ranking de artistas com mais indicações ao prêmio junto com Paul McCartney.

Já a segunda artista feminina com mais indicações é Dolly Parton, que foi nomeada 50 vezes para as categorias da premiação, segundo a Vogue India.

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 curiosidades sobre o disco indicado de Harry Styles, Fine Line


Cardi B: Primeira mulher a vencer a categoria de Melhor Álbum de Rap 

Em 2019, Cardi B entrou para história ao receber o prêmio de Melhor Álbum de Rap. Como a primeira mulher a vencer a categoria, a rapper homenageou Mac Miller, que morreu no final de 2018.

+++ LEIA MAIS: Esnobado do Grammy, The Weeknd ironiza importância da premiação em novo clipe


Billie Eilish: Vencedora em todas as categorias principais 

Fenômeno do pop, Billie Eilish foi a primeira mulher a vencer todas as categorias principais do Grammy na mesma edição. Além disso, a cantora também foi a artista mais jovem a conquistar o recorde. 

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++ PÉRICLES | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL