6 diretoras que poderiam ser indicadas ao Oscar 2020 - mas foram ignoradas

Tendo em vista que há mais de 90 anos a premiação só prestigia homens, esta edição não foi diferente

Redação Publicado em 14/01/2020, às 15h35

None
Emma Stone em Adoráveis Mulheres (Foto: Divulgação) e Cynthia Erivo como Harriet Tubman (Foto: Divulgação)

Na última segunda, 13, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou a aguardada lista de indicações da maior premiação de cinema: a do Oscar. Sem surpreender a ninguém, nenhuma diretora mulher foi indicada. A tendência era óbvia, visto que durante os 90 anos de história da cerimônia apenas cinco mulheres foram nominadas

A apresentadora dos indicados na transmissão, Issa Raem, após anunciar os indicados da categoria - Martin Scorsese (O Irlandês), Todd Phillips (Coringa), Sam Mendes (1917), Quentin Tarantino (Era Uma Vez Em... Hollywood) e Bong Joon Ho (Parasita) - disse: "Parabéns a todos esses homens".

Com o sucesso de Greta Gerwig como diretora do aclamado Lady Birdy: A Hora de Voar e agora a adaptação de Adoráveis Mulheres, muita gente esperava que a cineasta fosse indicada ao Oscar na categoria de Melhor Diretora. No entanto, a quinta indicação veio para Todd Phillips com o Coringa. Além de Gerwig, outras mulheres mostraram potencial para a premiação. Mas todas foram ignoradas. 

+++ LEIA MAIS: Democracia em Vertigem: Bolsonaro diz que documentário indicado ao Oscar é "porcaria" e "ficção"

Com isso, reunimos seis diretoras que poderiam ter sido indicadas ao Oscar 2020. Veja abaixo: 


Na quarta produção de longa-metragem, Kasi Lemmons conta a história de Harriet Tubman, uma abolicionista americana e ativista que ajudou libertar centenas de escravos. Baseada em eventos reais, a cineasta monta uma narrativa de fuga e heroísmo de aura clássica. 

A protagonista, Cynthia Erivo, recebeu uma indicação para o Oscar como Melhor Atriz pelo papel e pela Canção Original "Stand Up", música-tema do filme.


Em Retrato de Uma Jovem em Chamas, Céline Sciamma apresenta uma história sobre descoberta afetiva e intelectual de forma harmonica e artística. 

A narrativa é ambientada na França do século XVIII e narra a história de Marianne (Noémie Merlant), uma jovem pintora que recebe a tarefa de pintar um retrato de Héloïse (Adèle Haenel) para o próprio casamento sem que ela saiba. Ao passar dias a observando, Marianne se aproxima cada vez mais da modelo antes da data do casamento chegar. 


Greta Gerwig comanda a sexta adapção de Adoráveis Mulheres (Little Women) com um elenco jovem - de peso, que inclui Saoirse Ronan, Emma Watson, Florence Pugh e Timothée Chalamet.

A cineasta foi indicada nas categorias de Melhor Direção e Melhor Roteiro Original por Lady Bird: A Hora de Voar. Apesar do imenso potencial, Gerwig não foi lembrada pelo Sindicato dos Diretores. 


Honey Boy é o primeiro longa-metragem de legítimo esforço cinematográfico e sensível de Alma Har'el, indicada pelo Sindicato dos Diretores na categoria de cineastas estreantes. 

Com o roteiro de Shia LaBeouf, e baseado na própria infância e relacionamento com o pai, o filme é estrelado por LaBeouf, Lucas Hedges, Noah Jupe e FKA Twigs.


Em Fora de Série, Olivia Wilde levou a experiência como atriz para estrear na direção de um longa-metragem. Nesta produção, Wilde narra as descobertas e aventuras de uma amizade entre duas garotas no ensino médio, interpretadas por Kaitlyn Dever e Beanie Feldstein.


Baseado no artigo The Hustlers at Scores, da jornalista Jessica Pressler, publicado em 2016 pela revista New York Magazine, o filme segue a história de strippers que se unem para aplicar golpes em homens ricos e corretores que trabalham na bolsa de valores de Wall Street.

Adaptado e dirigido por Lorene Scafari, a produção conta com Constance Wu, Jennifer Lopez, Lili Reinhart, Cardi B, Julia Stiles, Keke Palmer e Lizzo no elenco. Neste cenário, Scafari cria uma perfeita representação humana que tem ânsia por dinheiro, sucesso e amor. 


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'