As 6 principais diferenças entre Frozen e o livro no qual foi baseado [LISTA]

Disney mudou diversos elementos do material fonte

Redação Publicado em 01/05/2020, às 12h56

None
Frozen 2 (Foto: Reprodução / Disney)

Em 2013, a Disney lançou Frozen, um dos grandes sucessos do estúdio. Mas muita gente não sabe que o filme é vagamente baseado no livro A Rainha da Neve, escrito por Hans Christian Andersen e lançado em 1844. Para fazer um produto voltado para o público moderno, a Casa do Mickey mudou vários elementos chaves na animação em relação a obra original, como personagens, enredos e os principais temas.

Dividida em sete partes, A Rainha da Neve mostra a história de duas crianças pequenas, Kai e Gerda, que têm a inocência e amizade postas à prova após uma visita misteriosa do monarca de coração de gelo de mesmo nome. O livro, usado apenas como base na adaptação, é amplamente considerado um dos melhores trabalhos de Andersen.

+++LEIA MAIS: Astro de The Big Bang Theory ficou irreconhecível para Hollywood, nova série da Netflix: ‘Me senti transformado’

Muita coisa mudou durante a produção, incluindo o final original de Frozen, de que o produto acabado quase não se assemelha à parábola original de Andersen do bem contra o mal. Apesar de algumas diferenças extremas, no centro de ambas as obras está uma pessoa intrinsecamente boa que deve ser salva da aflição mortal de ser atingida com um coração congelado.

O filme foi lançado, no Brasil, em 3 de janeiro de 2014 e arrecadou cerca de US$ 1,28 bilhão na bilheteria mundial. Veja abaixo As 6 principais diferenças entre Frozen e o livro no qual foi baseado.

+++LEIA MAIS: The Midnight Gospel não é o desenho 'tipo Rick and Morty' que você quer: é muito melhor

A vilã do livro vira heroína do filme

Um grande elemento da trabalho de Andersen é perversidade da Rainha das Neves, que foi transformada de antagonista central da história em protagonista principal de Frozen. A monarca do escritor é realmente má; em um determinado momento, por exemplo, ela atrai um jovem para longe da família e de casa para torturá-lo e fazê-lo congelar até a morte.

No entanto, A Rainha da Neve de Frozen não é cruel, ela apenas está apenas confusa com os poderes e com amedontrada. Incapaz de controlar seus poderes, Elsa foge de casa para viver em um isolamento auto-imposto, cria um enorme castelo de gelo. Mais tarde, ela descobre que deve enfrentar os problemas e demônios internos e abraça o poder curador do amor.


Disney diminui os poderes de Elsa

Os poderes de Elsa no filme e livro são semelhantes. As duas conseguem criar enormes castelos de gelo, controlar condições climáticas e sumonar criaturas da neve para serem usadas para proteção pessoal. Nem a rainha parece ser afetada pelo frio também.

Mas uma grande diferença entre os poderes deles é que Elsa ainda está dominando e entendendo seu lado sobrenatural, enquanto A Rainha da Neve parece estar no controle total de sua feitiçaria. Além disso, a rainho do livro pode se transformar em um floco de neve e também voar, os beijos dela podem amortecer o frio, causar esquecimento e até matar.

+++LEIA MAIS: 3 séries de ficção científica mais delirantes disponíveis na Netflix


Novos personagens no filme

Uma das diferenças mais notáveis é a introdução de personagens inéditos em Frozen, que substituem quase todos os outros originais. No longa as heroínas e ajudantes que servem como películas cômicas e estão se aperfeiçoando no merchandising.

A Rainha da Neve gira em torno de Kai e Gerda, duas crianças pequenas. Frozen atualiza a dinâmica dos dois personagens principais; os irmãos Kai e Gerda são transformadas nas irmãs Anna e Elsa, assim como a idade é mudada.


Substituição de personagens moralmente desagradáveis

Nem todos os personagens de Frozen froam criados do zero, alguns apenas sofreram transformações drásticas. Como por exemplo a personagem brusca e violentamente problemático da Little Robber Girl é remodelado no adorável Kristoff (Jonathan Groff), um colhedor de gelo que se junta a Anna na missão de trazer de volta a irmã mais velha e resgatar a casa destruída pelo inverno.

Em A Rainha da Neve, Little Robber Girl sequestra, intimida e ameaça matar Gerda, enquanto mantém uma rena sensível em cativeiro na ponta da faca. Essas situações violentas são contornadas em Frozen, as renas sequestradas se tornam Sven, o equivalente a um golden retriever nórdico.

+++LEIA MAIS: Como um adolescente levou Mariah Carey de volta aos topos em uma madrugada


Remove temas religiosos e mais sombrios

O livro de Anderson é cheio de temas cristãos e motivações religiosas. A história menciona imagens bíblicas como os anjos e o diabo, por exemplo. O conto de fadas também é mais sombrio do o longa, e o texto aborda ações horríveis como canibalismo pretendido, ameaças de assassinato, bebida, nudez e abuso doméstico.

A Disney, como de se esperar, exclui esses detalhes desagradáveis ​​e os substitui pela famosa fórmula musical.


Época fictícia

A Rainha da Neve começa em uma cidade não definida, em algum lugar do norte da Europa. Mais tarde, a jornada de Gerda a leva pela Lapônia (o que seria, atualmente, a Finlândia, Suécia, Noruega e partes da Rússia), até a Finmark e mais ao norte, e ilha de Spitsbergen.

Frozen mantém essas raízes escandinavas e período de tempo que o material fonte, ele inventa o lugar onde se passa a trama. O Reino de Arendelle é inspirado no país da Noruega, e a terra fictícia mantém muitas características nórdicas.

+++LEIA MAIS: Elenco de Goonies, incluindo Spielberg, se reúne pela primeira (e talvez última) vez


+++ RUBEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL