7 coisas mais odiáveis de Game of Thrones - já é permitido falar sobre elas? [LISTA]

Apesar de aclamada, a série da HBO tem diversos clichês, alguns ruins e outros feitos para ser odiados

Redação Publicado em 13/02/2020, às 12h31

None
Emilia Clarke em Game of Thrones (foto: Reprodução HBO)

Game of Thrones marcou a história da televisão e se tornou uma das séries mais premiada de todos os tempos. Porém, é claro que ela não é perfeita, mesmo que vários fãs pensassem assim e reagissem exageradamente ao sinal de qualquer crítica.

Mas agora, depois do final controverso e com mais produções audiovisuais derivadas a caminho, é o momento ideal para citar os aspectos mais detestáveis do seriado citados pelo Screen Rant, alguns deles até positivos e feitos intencionalmente. Confira:


Preciosismo dos fãs do livro

Essa característica negativa se aplica a várias, senão todas as adaptações de obras literárias. Mas, a implicância dos fãs de As Crônicas de Gelo e Fogo é particularmente irritante e excessiva com Game of Thrones.

+++LEIA MAIS: O que Kit Harington tem feito desde o Jon Snow de Game of Thrones?

Qualquer diferença na trama da série com o que é contado nos livros era motivo de longas discussões, especialmente quando o programa ultrapassou o que já foi publicado por George R.R. Martin e fez o próprio final, que até hoje causa briga.


Arrogância anunciada

Essa tendência de séries que fazem muito sucesso também contaminou Game of Thrones e os fãs. O foco das campanhas publicitárias e de todos que apoiavam a produção da HBO era de auto-intitular o programa como a melhor história de todos os tempos. Essa certa arrogância chegou a afastar alguns possíveis novos espectadores.


Bran Stark

Outro fator de discussão que foi amplificado pelo final polêmico foi Bran Stark. O personagem nunca foi um dos favoritos dos fãs e, por ter terminado como o rei de Westeros, foi visto por muitos como uma solução fraca e sem criatividade ao enredo que já foi tão elogiado antes. Nada disso, é claro, foi culpa do ator Isaac Hempstead-Wright.

+++LEIA MAIS: Ator de Tommen conta quando fã de Game of Thrones quis socá-lo no rosto e ele agradeceu


Joffrey Baratheon

Uma coisa detestável, mas de uma maneira positiva.  Joffrey Baratheon era o típico garoto mimado e privilegiado, mas de forma doentia e psicótica. O ator Jack Gleeson soube representar essa sensação com maestria para a tela e, rapidamente, Joffrey se tornou o personagem que todos amam odiar.

A morte brutal do rei-garoto foi até celebrada pelos fãs, já que Joffrey era ruim a ponto de muitos acharem merecido o fim que ele teve. Certamente ele foi um dos melhores e mais memoráveis vilões de Game of Thrones.


Obsessão com o Casamento Vermelho

A famosa sequência foi um dos pontos altos de Game of Thrones, mas isso teve um efeito colateral indesejável. Vários dos fãs que ficaram insatisfeitos com as temporadas seguintes usavam a cena como uma referência de qualidade de maneira exagerada, o que colocou o episódio em um pedestal.

+++LEIA MAIS: 7 perguntas sem respostas sobre os Lannister em Game of Thrones [LISTA]

A realidade é que, apesar de muito bom, o Casamento Vermelho não é tão impressionante assim. A percepção e nostalgia de alguns chegou a prejudicar cenas tão boas ou até melhores que vieram depois.


Histórias nunca resolvidas

Personagens coadjuvantes como Gendry, Sor Loras e Sor Jorah tiveram muito tempo de tela para desenvolver as próprias histórias, mas várias delas não ganharam finais satisfatórios. Outras nem sequer tiveram um final. Esse excesso de narrativas cansou e confundiu muitos.


A preguiça e pressa na última temporada

Sim, isso não pode ser esquecido. Todos os erros, como a Batalha de Winterfell, bizarrices, como o infame copo de café e soluções feitas de última hora foram fontes de incansável crítica dos fãs (com razão). Esses tropeços, justo no final, quase mancharam para sempre a reputação deGame of Thrones.


+++ A MALDIÇÃO DO CORINGA, COM JOAQUIN PHOENIX, HEATH LEDGER, JACK NICHOLSON E MAIS: