8 filmes de terror dirigidos por mulheres que você precisa assistir [LISTA]

Entre filmes originais e sequências, muitos títulos dirigidos por mulheres merecem mais reconhecimento

Redação Publicado em 11/03/2020, às 09h55

None
Cena de Cemitério Maldito (Foto: Divulgação)

A indústria cinematográfica é dominada por homens em todos os gêneros, inclusive o terror, no qual alguns dos principais nomes são Wes Craven, John Carpenter e Tobe Hooper. Mulheres ainda podem ser relacionadas majoritariamente aos papéis de vítima nesse tipo de filme, mas existem muitos títulos de diretoras merecedoras de mais atenção e reconhecimento. 

Desde ideias originais a continuações de grandes sucessos do terror, como Carrie, a Estranha e Cemitério Maldito, o site ScreenRant fez uma lista de oito filmes dirigidos por mulheres para você assistir.

#Horror (2015)

A atriz Tara Subkoff tem apenas um filme no currículo de diretora. Em #Horror, um grupo de meninas de 12 anos se envolve com um jogo online de cyberbullying quando começa a ser perseguido.  O filme foi muito criticado, mas deve agradar aos fãs de gênero slasher. 

+++ LEIA MAIS: 8 diretoras que fizeram história no cinema brasileiro: de Petra Costa com Democracia em Vertigem a Renata Pinheiro com De Pernas pro Ar


Cemitério Maldito II (1992)

O primeiro Cemitério Maldito (1989), dirigido por Mary Lambert, foi sucesso de crítica e bilheteria. O mesmo não aconteceu com a sequência, na época, e o filme parece ter encontrado um público só agora. No longa, um cemitério amaldiçoado traz os mortos de volta à vida.


Mente Paranóica (1997)

O terror psicológico Mente Paranoica, dirigido por Cindy Sherman, recorre ao humor ácido para contar a história da revisora Dorine. Acidentalmente, a protagonista mata um colega de trabalho e esconde o corpo no porão. Confortada pela companhia do cadáver, Dorine segue com assassinatos de outros colegas para lidar com a solidão. 

+++ LEIA MAIS: As principais influências de filmes de terror em bandas de heavy metal: De Black Sabbath a Rob Zombie


Ghost in the Machine (1994)

A diretora Rachel Talalay, responsável por filmes como A Hora do Pesadelo 4 e 6, não foi bem sucedida com o lançamento de Ghost In The Machine. Quando um serial killer procurado há anos pela polícia morre em um acidente de carro, a alma do assassino se conecta a um computador e persegue novas vítima. 


The Rage: Carrie 2 (1999)

Após o sucesso do filme clássico de Carrie, A Estranha, Katt Shea assumiu a missão de fazer uma sequência da história. The Rage: Carrie 2 não tinha relação com o original, no começo, mas a história ganhou novos rumos e a protagonista, meia-irmã de Carrie White, descobre poderes telecinéticos após sofrer bullying na escola.

+++ LEIA MAIS: 4 referências de I’m Not Okay With This, nova série da Netflix: De Carrie a Clube dos Cinco


Festim Diabólico (1988)

Dirigido por Janet Greek, o filme traz Tim Daly no papel de um advogado de defesa de uma mulher vítima de abuso. Ele se apaixona sem imaginar a verdade sobre a cliente.


Organ (1996)

Em Organ, terror japonês escrito, dirigido e produzido por Kei Fujiwara, dois ladrões removem órgãos de seus cativos enquanto ainda estão vivos. Com muito sangue e violência, o filme é a estreia de Fujiwara como diretora. 

+++ LEIA MAIS: 13 séries de terror para sentir medo na Netflix: Ares, Dark, Residência Hill e mais [LISTA]


Massacre na Festa do Pijama 3 (1990)

A trilogia Massacre na Festa do Pijama é completamente dirigida por mulheres. O terceiro filme, porém, não fez o mesmo sucesso dos antecessores. Com direção de Sally Mattison, o longa retoma o tom obscuro do primeiro filme. Em uma festa do pijama, as jovens recebem os namorados de maneira inesperada - além de outro visitante. 


Guerreiros do Inferno (2002)

Guerreiros do Inferno foi o primeiro longa dirigido M. J. Bassett, responsável por filmes como Silent Hill: Revelação e Os Selvagens. O filme acontece um ano antes do fim da Primeira Guerra Mundial, quando um adolescente se perde no território inimigo e assiste aos amigos enlouquecerem lentamente. 

+++ LEIA MAIS:Nova série da Netflix, Ares é tão assustadora que pessoas desistem de assistir em minutos


Nong Hak (2016)

Submetido como representante de Laos no Oscar 2018, esse filme dirigido por Mattie Do mostra a mudança de uma mulher para a capital do país, onde começa a cuidar do primo cego, até descobrir que ele consegue se comunicar com os mortos. 


+++ SESSION ROLLING STONE BRASIL: DELACRUZ - ANESTESIA