80 anos de Sérgio Mendes, a mente por trás da versão bossa nova do hit ‘Mas que Nada’

A Rolling Stone Brasil celebra o aniversário de Mendes nesta quinta, 11, com a trajetória artística do músico, assim como os grandes feitos da carreira

Camilla Millan I @camillamillan Publicado em 11/02/2021, às 15h28

None
Sérgio Mendes no Rock in Rio 2015 (Foto: Cintia Orth/Estácio/Divulgação)

Sérgio Mendes é considerado revolucionário. Um dos responsáveis por levar a Bossa Nova, Samba e MPB para outros países, o artista assinou a composição de diversos hits de sucesso, como as famosas versões de “Mas que Nada” e “Never Gonna Let You Go”.

Nesta quinta, 11, o músico completa 80 anos; e a Rolling Stone Brasil celebra a data com alguns dos grandes feitos do artista - além da trajetória de Sérgio Mendes, que saiu de Niterói, Rio de Janeiro, para conquistar diversos palcos ao redor do mundo.

+++LEIA MAIS: Revolucionário, João Gilberto transformou o DNA musical brasileiro [ANÁLISE]

Talvez o rosto Sérgio Mendes não seja tão conhecido quanto suas obras, mas os feitos do  compositor são inegáveis. Nascido em Niterói, o artista viajou o globo com o disco Dance Moderno, do Sexteto Bossa Rio. Em 1964, ele se mudou para os Estados Unidos para continuar a vida artística - e continua lá até hoje.

O abo de 1996 foi marcante na carreira de Sérgio Mendes. O artista regravou “Mas que Nada”, canção de Jorge Ben Jor, em Bossa Nova - e a versão fez tanto sucesso que até hoje é a mais ouvida da música. Posteriormente, o artista também regravou a música com a participação do Black Eyed Peas.

+++LEIA MAIS: Lady Gaga, Black Eyed Peas e mais: 7 hits pop que completam 10 anos em 2021

Outro momento importante na carreira do músico foi o lançamento do disco Never Gonna Let You Go, em 1984. No álbum, a faixa homônima foi o grande sucesso. Escrita por Cynthia Weil e Barry Mann, a versão tinha Joe Pizzulo e Leza Miller nos vocais com o piano de Sérgio Mendes - e a gravação foi um sucesso internacional.

“Never Gonna Let You Go” alcançou a 4ª posição na Billboard Hot 100, mas pode ser considerada apenas um dos sucessos do músico. Na década de 1990, Mendes criou o grupo Brasil 99 e lançou o disco Brasileiro, que rendeu um prêmio Grammy em 1993. 

O artista acumula parcerias com grandes nomes ao longo da carreira, como Will.I.Am, Erykah Badu, Carlinhos Brown, Stevie Wonder e Black Eyed Peas. Além disso, Mendes é reconhecido por shows marcantes. 

O artista se apresentou no Oscar de 1968, abriu o show para Frank Sinatra no Royal Festival Hall e, inclusive, subiu ao palco do Carnegie Hall, famosa casa de shows em Nova York. Além disso, Mendes venceu três Grammys e foi indicado a outros seis.

+++LEIA MAIS: Hit de Michael Jackson era originalmente para Frank Sinatra; conheça

Mendes é reconhecido como um artista que compartilhou parte das riquezas musicais brasileiras com o resto do mundo, mostrando a possibilidade de ter um pouco da sonoridade do Brasil nos mais diversos gêneros. Contudo, o músico também é famoso por ser eclético.

Mais do que canções brasileiras na essência, o artista fez sucesso com versões de outras músicas. Além de “Never Gonna Let You Go”, um caso famoso é o de "The Fool on the Hill", dos Beatles. A gravação do brasileiro fez sucesso, e foi elogiada pelo próprio Paul McCartney, que escreveu uma carta para dizer que a considera sua versão favorita da música.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

Sérgio Mendes tem mais de 30 discos lançados ao longo da carreira, e ainda não pensa em parar. Inclusive, o último álbum dele foi lançado em 2019. Intitulado The Key Of Joy, o trabalho tem diversas parcerias, como João Donato, Hermeto Pascoal, Guinga


+++ PAI EM DOBRO | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL


+++MAIS SOBRE MÚSICA: Akon, Ne-Yo e mais: 25 músicas nostálgicas dos anos 2000

Os anos 2000 nos proporcionaram algumas das músicas mais nostálgicas que já conhecemos. O black, unido ao pop e ao R&B fizeram de algumas canções verdadeiros hits - e só de ouvir, dá vontade de voltar no tempo e se jogar nos passinhos.

+++LEIA MAIS: Os 11 melhores discos de pop-punk dos anos 2000, segundo radialistas

Quem lembra das icônicas músicas de Ne-Yo, Akon, Mariah Carey e Nelly Furtado, sabe bem qual é esse sentimento. Não eram apenas hits, mas músicas que podiam fazer qualquer um vivenciar fortes emoções: do romance de “Sexy Love” à tristeza de “Sorry, Blame It On Me”.

Os beats icônicos, letras e refrões impecáveis fizeram destas músicas verdadeiros marcos dos anos 2000. Elas foram trilha sonora da adolescência e juventude de muitas pessoas - e é impossível ouvir de novo e não fechar os olhos, fingir que está em um clipe e dar uns passos de dança.

+++LEIA MAIS: Akon criará 'Wakanda da vida real' no Senegal com 800 hectares e energia solar: entenda os planos para a 'Akon City'

A Rolling Stone Brasil separou 25 músicas nostálgicas dos anos 2000:

“Miss Independent” - Ne-Yo


“Beautiful Liar” - Beyoncé, Shakira


“So Sick” - Ne-Yo


“My Boo” - Usher, Alicia Keys


“Love in This Club” - Usher, Zeezy


“Me & You” - Cassie


“Fire Burning” - Sean Kingston


“Beutiful Girls” - Sean Kingston


“Buttons” – The Pussycat Dolls, Snoop Dogg


“What Goes Around...Comes Around…” - Justin Timberlake


“Dilemma” - Nelly, Kelly Rowland


“Sorry, Blame It On Me” - Akon


“My Love” - Justin Timbarlake


“Promiscuous” - Nelly Furtado, Timbaland


“Pump It” - Black Eyed Peas


“Heartless” - Kanye West


“Replay” - Iyaz


“Sexy Love” - Ne-Yo


“Obsessed” - Mariah Carey 


“Say It Right” – Nelly Furtado


“Always on Time” - Ja Rule


“Don’t Stop The Music” - Rihanna


“Umbrella” - Rihanna, Jay-Z


“Low” – Florida, T-Pain


“Don’t Lie” - Black Eyed Peas