Enola Holmes na Netflix: 9 detalhes que você provavelmente não percebeu no filme da irmã de Sherlock Holmes

O filme que conta a história da irmã mais nova de Sherlock Holmes foi lançado na última quarta, 23

Clara Guimarães | @claracastrog Publicado em 26/09/2020, às 16h00

Enola Holmes (Reprodução/Netflix)
Reprodução/Netflix

O mistério que segue a irmã de 16 anos do famoso detetive Sherlock Holmes (Henry Cavill) estreou na Netflix na última quarta, 23. O filme nos leva do campo ao coração de Londres na era Vitoriana enquanto Enola Holmes (Millie Bobby Brown) foge em busca da mãe, Eudoria.

Como o filme incorpora um dos personagens mais famosos de toda a literatura e também é muito inteligente na hora de criar conexões e mostrar detalhes, existem ao longo do filme várias referências que podem ter escapado da audiência.

+++ LEIA MAIS: Millie Bobby Brown teve bastante dificuldade em fazer sotaque britânico para Enola Holmes

Por isso, com base em uma lista do Insider, aqui estão 10 detalhes que você provavelmente não percebeu em Enola Holmes.

Metalinguagem

Depois que a menina consegue completar a primeira parte do plano de fuga, ela cita uma frase muito conhecida entre os fãs de Sherlock, como um discreto easter egg: "The game is afoot", traduzido para "o jogo está em andamento".

O Jogo Final

Durante o filme, Enola cita que o jogo favorito de Sherlock é xadrez, "mas só com um oponente de valor". Acontece que esse adversário viria a ser ela mesma no final do filme, enquanto tenta resolver o mistério.

+++LEIA MAIS: Erro histórico no pôster de Enola Holmes, com Milly Bobby Brown viraliza na internet; entenda

Prévia de Chinatown

A vizinhança de Limehouse Lane, onde Eudoria faz o trabalho como ativista, é cheia de escritas chinesas e dragões. Segundo o Insider, uma explicação para isso seria que essa foi provavelmente a primeira comunidade de imigrantes chineses em Londres. O que faz ainda mais sentido considerando a proximidade do local ao porto.

O fruto proibido

A cena de Eudoria apanhando maçãs em uma árvore parece ter sido colocada propositalmente para a associarmos a Eva colhendo o fruto proibido. Assim como a primeira criação, a mãe de Sherlock Holmes é muitas vezes descrita como "selvagem" e "perigosa".

Quebra de normas de gênero

O filme toca várias vezes no assunto de desigualdade de gênero, mas o faz de forma sutil em certos momentos. Este é um deles. Existe um close-up de Enola e Tewkesbury (Louis Partridge) sentados na parte de trás de uma carroça, no qual podemos ver a menina sentada com as pernas abertas ainda usando as roupas antigas de Sherlock, enquanto Tewkesbury senta com as pernas cruzadas, arrumadinho.

É um pequeno detalhe, mas que contém um significado enorme, já que evidencia que os protagonistas não seguem as regras de gênero impostas pela sociedade.

Literatura feminista

Muitas vezes o filme mostra livros que serviram de inspiração para Enola e Eudoria, como as histórias de Joana D'Arc e Thalestris, a rainha guerreira amazona, e também o livro A Sujeição das Mulheres, de John Stuart Mill.

Fantasia de Enola revela culpado

A garota escolhe se vestir como uma viúva para fugir da atenção das pessoas. Embora não soubesse na época, esta acaba sendo justamente a resposta do mistério e a culpada é realmente a viúva que ninguém suspeitava.

+++ LEIA MAIS: As 75 estreias da Netflix para outubro de 2020: It: A Coisa, Bastardos Inglórios, Bom Dia, Verônica e mais

Crisântemos são um código

Graças a uma pista deixada pela mãe, Enola descobre que "a concessão de Crisântemos indica apego familiar e, por implicação, afeto". Por isso, quando acontece o reencontro entre as duas, um crisântemo pode ser visto no canto da tela.

A resposta estava logo ali!

Edith (Susan Wokoma) se recusa a revelar o paradeiro e as atividades de Eudoria. Mas, durante toda a conversa, Enola está sentada bem ao lado da resposta. Em uma mesa estão panfletos com o título "sufrágio feminino" estampados.

Enola, sentimos dizer, mas você pode ter falhado um pouco na dedução neste momento.