As 9 melhores músicas do My Chemical Romance - depois de 9 anos de espera pelo retorno da banda

Mal dá para acreditar, mas já faz quase uma década que a banda apresentou Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys, último disco de originais

Yolanda Reis Publicado em 31/10/2019, às 18h11

None

Separe o lápis de olho, a munhequeira e lenços de papel para o chororô: o My Chemical Romance, ao que tudo indica, está de volta! O grupo se separou em 2013, e passou todos os anos seguintes dizendo que não pretendia voltar. Mas isso se provou falso.

A banda postou no Twitter nesta quinta, 31, uma imagem intitulada “Return” com anúncio de um evento em Los Angeles, EUA, no dia 20 de dezembro deste ano. Não deram mais detalhes - não sabemos se é um show de reunião ou (e esperamos por isso) lançamento de material novo.

+++ LEIA MAIS: My Chemical Romance: uma discografia comentada do início ao fim

Como emo inveterada, esperei anos e anos para este dia, assim como muitos. E, nesse meio tempo, me ocupei ouvindo os quatro discos lançados pelo My Chemical Romance entre 2002 e 2010 - mas os ouvi até 2019 (sabiam que há uma foto de Frank Iero colada na parede da redação da Rolling Stone Brasil? Fica bem atrás da minha cadeira). Então, separei 9 das melhores músicas (duas de cada álbum e uma que não podia ficar de fora) da banda. Veja:


I Brought You My Bullets, You Brought Me Your Love (2002)

“Demolition Lovers”


O primeiro disco do My Chemical Romance é melancólico, pesado, acelerado. E “Demoliton Lovers” é suicida, cheia de guitarras e berros. Sinceramente, uma síntese do disco e da banda inteira. Merece encabeçar esta lista.

"Honey, This Mirror Isn't Big Enough for the Two of Us"


A música começa com uma guitarrinha e um baixo que são, ao mesmo tempo, bem metal e bem emo. E a letra traz tanta, tanta raiva! Da onde vem tudo isso? Não sabemos, mas era difícil não se identificar durante a adolescência. 


Three Cheers for Sweet Revenge (2004)

"You Know What They Do to Guys Like Us in Prison" 


Esta música varia a intensidade, principalmente na primeira parte, do que já conhecíamos do My Chemical Romance. Ainda amarga, mas agora, melódica. Isso, depois, seria uma das grandes marcas da banda. Com apoio vocal de Bert McCracken (The Used), é uma das gravações mais limpas da voz de Gerard Way.

“I’m Not Okay (I Promise)”


Esta foi a música responsável por lançar o My Chemical Romance ao estrelato. O clipe passava o dia todo nos programas da MTV e MultiShow. É um mix que faz dela uma das favoritas: a nostalgia, o início da adolescência, o reconhecimento emotivo e, claro, a apresentação ao “emo” de toda uma geração.


The Black Parade (2006)

“Mama”


Apesar do começo sombrio e fúnebre (“mamãe, todos nós vamos morrer / mamãe, fomos feitos para as moscas / e neste momento eles constroem / um caixão do seu tamanho”) é uma música familiar. Os pais de Gerard e Mikey Way, e de Frank Iero, participam dos backing vocals, além da atriz Liza Minnelli. A mistura de polca com guitarras pode parecer bizarra - mas ficou ótima, e é uma das músicas mais reconhecíveis da banda. 

“Teenager”


Polêmicas à parte (alguns diziam que essa música incentivava tiroteiros nas escolas), essa música veio como um hino para todos os adolescentes esquisitos e deslocados que se f*diam sempre na escola pela maneira estranha de ser (vide as letras “eles vãos limpar sua aparência / com todas as mentiras dos livros / para te transformar em cidadão” e “eles vão abrir suas cabeças / rasgar suas aspirações em pedaços / outra engrenagem na máquina assassina” ). A faixa de baixo combinada à guitarra, porém, dão um tom interessante e contagiante. Ouso dizer: é a minha favorita de todas as músicas do My Chemical Romance


Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys (2010)

"Na Na Na (Na Na Na Na Na Na Na Na Na)"


Single do disco, esta música foi, talvez, a mais polêmica entre os fãs. “Que p*rra pop é essa?” perguntavam alguns, indignados. E, sim, "Na Na Na" é bem pop. E, por isso mesmo, ótima: totalmente contagiante e ridiculamente dançante. Mas a melhor parte são as letras ácidas e hilárias - sem deixar de ser extremamente crítica. 

“Vampire Money”

 

Isso é Surf Music? Rock N’ Roll dos anos 1960? Punk Rock? Hard Rock? Ou um pop? Não importa - pode ser tudo isso junto - ainda é ótima. A confusão caótica foi uma ótima despedida para o My Chemical Romance. É divertida e melancólica, animada e raivosa. Um mix que reúne todas as fases da banda.


Bônus:

Não tinha como deixar de fora esta música. Ela é, de longe, uma das melhores e mais populares de todas. Senhoras e senhores, “Welcome to the Black Parade”: