A Lenda de Candyman: Primeiras críticas elogiam direção e visual: 'Terror desconcertante' e 'Nia DaCosta é uma diretora poderosa'

Protagonizado por Yahya Abdul-Mateen II, A Lenda de Candyman estreou nesta quinta, 26, nos cinemas brasileiros

Felipe Grutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 26/08/2021, às 10h51

None
Trailer de Candyman (Foto: Reprodução/Youtube)

Dirigido por Nia DaCosta e produzido por Jordan Peele, A Lenda de Candyman (2021) estreou oficialmente nesta quinta, 26, nos cinemas brasileiros. Diversos críticos de cinema assistiram ao filme de terror e elogiaram a exploração do gênero, atuações, estética e a direção de DaCosta.

A produção é uma continuação direta do filme original, intitulado O Mistério de Candyman (1992), com o retorno de um Anthony McCoy adulto, interpretado por Yahya Abdul-Mateen II na sequência. Na trama, o protagonista volta à casa de infância, que foi um conjunto habitacional de Chicago - e se tornou um complexo de condomínio gentrificado.

+++LEIA MAIS: Por que Jordan Peele optou por não dirigir reboot do terror Candyman?

Na terra natal, Anthony procura revitalizar a carreira artística. Enquanto mergulha na lenda local de Candyman, o protagonista começa a perder a sanidade e lentamente desvenda segredos sombrios do passado dele e da lenda - e isso ameaça desencadear um mal adormecido há muito tempo.

Sobre A Lenda de Candyman, Mae Abdulbaki, do Screen Rant, elogiou aspectos técnicos. "Do ponto de vista visual, o filme é lindamente filmado, com o uso de espelhos e iluminação atmosférica, auxiliando magistralmente na narrativa enquanto reproduz o mal-estar e o terror. Embora introduza alguns arcos que não explora totalmente, Candyman está repleto de imagens assustadoras, terror desconcertante e temas instigantes," escreveu.

+++LEIA MAIS: ‘Loira do banheiro para adultos’, Candyman ganha trailer aterrorizante pelas mãos de Jordan Peele, de Corra! e Nós

"Candyman habilmente faz malabarismos em simultâneo, de intenção artística e propriedade a uma história de violência com origem de lendas monstruosas," pontuou Meagan Navarro, do Bloody Disgusting. "Uma história onde o filme de Nia DaCosta pretende resgatar com uma paixão ardente, construindo para um final responsável por bater em você como um trem de carga e o irrita. DaCosta é uma diretora poderosa, e a visão singular dela exige não apenas você dizer o nome dele, mas também entenda o porquê.

Para Owen Gleiberman, da Variety, DaCosta "fez um filme de terror que teve a cota de choques cativantes, mas está enraizado em uma meditação mais rica sobre o horror social da fábula de Candyman." Por outro lado, Leah Greenblatt, da EW, elogiou as críticas sociais no enredo.

+++LEIA MAIS: 6 filmes de terror que ainda vão sair em 2021 para ficar de olho [LISTA]

"Quem pode reiniciar, borrifar com algo novo, cobri-lo com sangue, abelhas e um ou dois comentários sociais diretos? Candyman pode, pelo menos por um tempo, mesmo pelo fato do filme não conseguir encontrar o ritmo de terror mais do que corporal no final," opinou Greenblatt na crítica.


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!