A voz do Dream Theater

O vocalista James LaBrie fala sobre os shows no Brasil e antecipa seu projeto solo

Por Paulo Cavalcanti Publicado em 17/03/2010, às 17h36

Novamente em nossa terra, o Dream Theater vai passar por várias capitais. Na terça, 16, a banda tocou em Porto Alegre. Nesta quinta, 18, é a vez de Curitiba. Os veteranos do prog metal ainda tocam em São Paulo (Credicard Hall, 19) e Rio de Janeiro (Citibank Hall, 20). Em entrevista por telefone, o vocalista James LaBrie fala que está entusiasmado com essa nova turnê em solo brasileiro, principalmente porque o Dream Theater tem novidades para mostrar ao público.

O quinteto traz na bagagem o disco Black Clouds & Silver Linings, lançado em junho do ano passado. James explica que está feliz com as apresentações realizadas após o lançamento do álbum: "Eu estou realmente surpreso com a boa receptividade que o disco teve, muita gente falou que foi uma volta ao tipo de som que fazíamos no começo do grupo. Certamente este show tem um bom equilíbrio entre as antigas, que todos pedem, e faixas mais marcantes do Black Clouds".

Uma novidade é que James também se prepara para gravar seu segundo trabalho solo - o primeiro foi Elements Of Persuasion, lançado em 2005. Quando esta maratona de shows com o Dream Theater terminar, por volta de maio ou junho, ele deve entrar em estúdio, mas sem seus companheiros de banda. "Estou trabalhando com o meu colaborador [tecladista] Matt Guillory. O CD vai ter influência do Sevendust, uma banda que eu não paro de ouvir. Vai ser um disco mais roqueiro e direto, bem diferente do que faço no Dream Theater. Meu vocal vai estar bem mais agressivo".

E já que James pretende "gastar a voz" em seu disco solo, ele fala como mantém o gogó intacto: "Ah, não tem muito segredo. Mesmo quando eu não estou em turnê, eu pratico, canto todos os dias. Durmo bem e também corro sempre que dá. Quem trabalha com voz deve evitar cigarro, sou inimigo do fumo. E sempre tomo mel. Gosto de beber um pouco, um vinho sempre vai bem, mas sem exagero, claro".