Acordando o soul

John Legend, que se apresenta no Brasil com o The Roots no próximo domingo, 29, fala sobre o recente álbum, Wake Up!, e acerca de seu engajamento político

Por Patrícia Colombo Publicado em 26/05/2011, às 10h59

John Legend e The Roots se apresentam em São Paulo neste domingo, 29
Divulgação

Atualizada dia 26 de maio, às 10h43

John Legend sempre teve os dois pés no soul, mas em 2009 decidiu se dedicar inteiramente a essas raízes, gravando um álbum só com faixas antigas de nomes consagrados do gênero. Para isso, juntou-se ao respeitado The Roots no álbum Wake Up!, lançado em 2010. Neste mês, o cantor e a banda pegam avião rumo ao Brasil para divulgar o trabalho no Urban Music Festival, que acontece no próximo domingo, 29, em São Paulo, na Arena Anhembi.

Contextualizado no recente revival do soul - sustentado pelo interesse das novas gerações com relação ao estilo e pelo sucesso de artistas como Amy Winehouse, Adele e Mayer Hawthorne -, o lançamento de Wake Up! veio em boa hora, contendo não hits, mas covers de canções pouco populares de artistas que fizeram sua carreira nos anos 60 e 70. "Quisemos pegar faixas não muito óbvias, que a maior parte das pessoas talvez não conhecesse", conta Legend à Rolling Stone Brasil, por telefone. Estão na tracklist "Hard Times", de Baby Huey & the Babysitters (composta por Curtis Mayfield), "Wake Up Everybody", de Harold Melvin & the Blue Notes, "Wholy Holy", de Marvin Gaye, entre outras. "Foi só uma questão de escolher as canções corretas, que transmitissem as mensagens que gostaríamos de passar e que soassem bem ao vivo", conta o músico, que aproveita para elogiar os companheiros na coletânea. "Trabalhar com o Roots foi muito divertido. É uma banda incrível, com uma aproximação muito grande com este tipo de música", afirma.

Com relação às apresentações ao vivo, a união Legend mais Roots conta não só com as canções geradas em Wake Up!, mas também com produções das carreiras prévias do cantor e da banda. "O show terá um pouco de tudo. Alguns hits meus, alguns hits do Roots e faixas de Wake Up!", explica o cantor, dizendo também que está empolgado para voltar ao Brasil, país onde se apresentou pela última vez em 2009, quando trouxe o repertório do disco Evolver. A versão brasileira deste material solo, aliás, teve participação de Ana Carolina em uma das faixas, "Entreolhares (The Way You're Looking at Me)". Legend diz que não sabe se realizará uma parceria do tipo em seu próximo álbum (que ainda não tem título, está sendo produzido por Kanye West e tem lançamento previsto para 2012), mas que o interesse existe. "Ainda não tenho nenhum nome específico, mas adoraria e espero fazer no futuro", afirma.

Soul, engajamento político e a morte de Osama Bin Laden

Legend é conhecido fora da música pelo seu envolvimento em causas sociais e políticas. Porém, desta vez, como o próprio Wake Up! mostra, o cantor quis misturar os dois mundos por meio de faixas que transmitissem os ideais que compartilha - sim, as canções são de décadas atrás, mas ainda soam frescas nos dias de hoje. Vale citar que o material foi também inspirado na chegada de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos. "Sempre fui engajado politicamente na minha cabeça e sempre estive envolvido nisto", conta o artista. "Mas nunca havia feito um projeto musical que refletisse a ideia tanto quanto este. Achei que seria interessante neste momento."

Falando em política, o cantor trabalhou na campanha de Obama anos atrás e defende o conceito de que "a justiça foi feita", sustentado pelo presidente norte-americano com relação à morte, no início de maio, do líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama Bin Laden, em uma operação militar dos Estados Unidos no Paquistão. Acontecimento, claro, considerado um marco na história atual do país. "Eu estava em Nova York quando os ataques de 11 de setembro aconteceram. Foi um momento obscuro e assustador para muitos norte-americanos", conta. "Eu acho que, neste caso, ele mereceu morrer. Foi alguém que causou intencionalmente a morte de muitos civis e danos a muitas pessoas. Não significa o fim do terrorismo, não significa que nossos problemas com relação a este assunto estejam, de fato, acabados, mas se trata de um momento significativo."

Confira abaixo detalhes sobre o Urban Music Festival. Cee Lo Green, que também participaria do evento, cancelou sua vinda ao Brasil. Saiba mais.

Urban Music Festival

29 de maio, a partir das 12h

Arena Anhembi (Av. Olavo Fontoura, nº 1.209 - Santana)

Valores: 2º lote - R$240 (pista; há meia entrada), R$650, Área Vip Premium

Venda de ingressos: www.ingressorapido.com.br

Site: www.urbanmusicfestival.com.br

Programação:

Urban Day

12h Anjo dos Becos - palco Street

13h DJ Kaka Mendes - palco Urban

14h Live Delu - palco Street

15h Roots Rock Revoltion - palco Urban

16h Copacabana Club - palco Street

17h Technotronic - palco Urban

Urban Night

18h DJ King - palco Street

19h Ja Rule - palco Street

21h Emicida - palco Street

22:30 John Legend & The Roots - palco Urban

23:30 DJ Mau mau - Área Vip Premium