Administradores do espólio de Michael Jackson fecham acordo recorde com gravadora

Contrato pode atingir valor de US$ 250 milhões; dez álbuns deverão ser lançados em sete anos

Da redação Publicado em 16/03/2010, às 16h09

Meses após sua morte, Michael Jackson bateu mais um recorde na indústria musical. Um acordo, cujo valor pode chegar a US$ 250 milhões, foi firmado entre os administradores de seu espólio e a gravadora Sony, segundo informou o norte-americano Wall Street Journal. Trata-se do mais lucrativo contrato de todos os tempos no mundo da música.

O acordo garante ao espólio, no mínimo, US$ 200 milhões e envolve o lançamento, pela gravadora, de dez álbuns (contendo faixas inéditas) nos próximos sete anos, além das demais obras que integram o catálogo do cantor. Para o primeiro aniversário de morte, a expectativa é de que o espólio arrecade cerca de US$ 250 milhões, por meio das músicas, divulgação e comercialização de itens de colecionador.

Desde a morte do cantor, em 25 de junho do ano passado, a Sony vendeu cerca de 31 milhões de álbuns ao redor do mundo. Em entrevista, Rob Stringer, o presidente da gravadora, disse que sua empresa está confiante de que o negócio vai além de um acordo. "Vemos isso como uma parceria", disse.

Os lucros deverão dar um fôlego aos herdeiros de Jackson, já que, nos anos que antecederam seu falecimento, o cantor havia acumulado uma grande quantidade de dívidas, devido aos empréstimos que realizou para manter seu luxuoso estilo de vida.

O Wall Street Journal listou os acordos mais valiosos do mundo da música. Veja abaixo:

1996: R.E.M assina com a Warner Music para o lançamento de cinco álbuns no valor de US$ 80 milhões.

2001: Mariah Carey assina com a EMI, por US$ 100 milhões, um acordo para o lançamento de cinco álbuns. Em 2002, a gravadora pagou a ela US$ 28 milhões por rescisão de contrato, após o lançamento do primeiro disco.

2002: EMI assina com Robbie Williams, com suposto valor de US$ 100 milhões, incluindo turnês, lançamentos e divulgação.

2005: Sony Music assina com Bruce Springsteen por, no mínimo, US$ 100 milhões.

2007: Live Nation assina, no valor de US$ 120 milhões, contrato, com duração de dez anos, para representar Madonna em todos os aspectos de sua vida profissional, incluindo vendas de álbuns e direitos de imagem.

2008: Live Nation assina com o rapper Jay -Z, também por dez anos, no valor de US$ 150 milhões, em contrato semelhante ao de Madonna.

2010: Sony e representantes do espólio de Michael Jackson assinam acordo no valor de US$ 250 milhões para o lançamento de dez álbuns em sete anos.