Advogado de Conrad Murray afirma que investigação da morte de Michael Jackson foi mal feita

Ed Chernoff acusou a investigadora Elissa Fleak de alterar suas anotações a respeito do caso

Matthew Perpetua Publicado em 07/10/2011, às 12h01 - Atualizado às 12h46

Ed Chernoff
AP

Um dos advogados do doutor Conrad Murray, médico que está em julgamento por envolvimento na morte de Michael Jackson, acusou uma investigadora da cena do crime de conduzir uma verificação mal feita no quarto onde o Rei do Pop morreu, em 2009.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Ed Chernoff, o principal advogado de defesa de Murray, confrontou a investigadora Elissa Fleak durante seu testemunho, acusando-a de cometer “um número substancial de erros” em sua investigação a respeito da morte do cantor. Elissa negou as acusações de Chernoff, mas reconheceu que suas anotações originais, escritas à mão, foram destruídas após ela ter escrito o relato oficial, o que ela diz ser sua prática habitual. Chernoff sugeriu que Fleak mudou suas anotações após o acontecido, para que as evidências combinassem com a fala de outras testemunhas.