Advogados querem impedir lançamento de inéditas dos Beatles

Gravações de 1962 teriam sido feitas sem autorização; fitas são legais, alegam detentores

Da redação Publicado em 24/03/2008, às 09h52 - Atualizado às 14h08

Lançamento da Fuego deveria ter oito músicas inéditas dos Beatles
Lester Cohen/Divulgação

A Apple Corps, empresa criada pelos Beatles para gerenciar os negócios da banda, está processando o grupo estadunidense Fuego Entertainment, informou a BBC. Os advogados da Apple afirmam que a Fuego tem a posse de gravações ilegais de um show da banda em Hamburgo, na Alemanha, em 1962.

A Apple alega que as gravações foram feitas sem autorização dos músicos, e que as empresas do grupo Fuego - Fuego-Echo Music Group e Echo Vista - não têm o direito de lançá-las. É possível que existam oito músicas inéditas no material, entre elas uma versão de "Lovesick Blues", do cantor country Hank Williams, na voz de Paul McCartney.

Paul LiCalsi, da Apple, afirmou à BBC que as gravações parecem de "fundo de quintal". Hugo Cancio, presidente da Fuego, declarou que "as músicas não são clandestinas. Não é como hoje, que você vai com um telefone e grava". Não foi divulgado como Jeffrey Collins, também da Fuego, conseguiu as fitas.

O grupo pretendia lançar as músicas no disco Jammin' with the Beatlesand Friends, Star Club, Hamburgo, 1962. A Apple está pedindo cerca de R$26,1 milhões no processo por danos à imagem dos Beatles.