Aerosmith vira tema de jogos lotéricos

Raspadinhas baseadas em marcas da banda, como a canção "Dream On", terão prêmios que podem chegar a show privado

Da redação Publicado em 12/05/2009, às 15h54

Na linha "inovar, e sempre" - essencial para quem quer sobreviver na combalida indústria fonográfica de hoje -, o Aerosmith prepara uma espécie de "cassino" para os fãs. Segundo a revista Billboard, a editora do grupo, Primary Wave Music, fechou um acordo com a companhia GTECH, especializada em desenvolver jogos lotéricos para operadoras estatais e privadas. A ideia é lançar uma série de jogos baseados em "Dream On" e outras músicas de catálogo da banda. Os prêmios variam de passes ao backstage a tíquetes para a primeira fila - o grande vencedor pode, inclusive, ganhar um concerto privado.

A GTECH já criou produtos do gênero para marcas como Os Três Patetas, World Series of Poker e a mesma Billboard. A proposta do Aerosmith pode significar a porta de entrada para o mundo do rock 'n' roll - que, por ora, alia o verbete "jogo" a franquias como Rock Band e Guitar Hero (que, em junho de 2008, escolheu o próprio Aerosmith como tema do sexto título da franquia). A EMI também quer investir nesse mercado: recentemente assinou um contrato com a Pollard Banknote para investir em jogos lotéricos igualmente inspirados em música (o prêmio, no caso, pode incluir de dinheiro a download de álbuns e ring tones).

O pacotão oferecido pela companhia abrange jogos, prêmios e material de marketing - incluindo as famosas "raspadinhas", com design inspirado em canções, logo e imagens da banda (a empresa já teria desenhado mais de 25 modelos). A faixa "Dream On", presente no disco de estreia do grupo norte-americano, o homônimo Aerosmith (1973), foi escolhida como tema da campanha de marketing. O aviso está dado: "sonhe à vontade", fãs de Steven Tyler e cia., pois vocês podem ser sorteados para ganhar prêmios que incluem ingressos para a primeira fila, souvenires especiais e "passaportes" para o backstage dos shows da banda. Ainda em estudo, o prêmio máximo pode vir a ser uma apresentação customizada da banda, feita apenas para o vencedor.

Para o diretor do departamento de marketing da Primary Wave, Adam Lowenberg, trata-se da banda-cobaia ideal para o novo investimento. "Ela está bastante interessada em estabelecer novos precedentes, seja no Guitar Hero, seja no Rock & Roll Roller Coaster (montanha-russa com temática "aerosmithiana", inaugurada em 1999, nos estúdios Disney da Flórida, e depois replicada no parque francês da Disney)... ou, voltando na história, ao misturar rock e rap."

A GTECH, no entanto, se interessou menos pela sede de pioneirismo e mais pelo "potencial lotérico" dos fãs da banda. Para a companhia, os vocais de Steven Tyler vão funcionar como canto da sereia para que homens, pessoas de meia-idade e classes mais baixas gastem em cartelas. O grupo já recebeu pagamento adiantado pela empreitada. Se as vendas forem bem, levam um extra. Pode vir a calhar, com o prejuízo recente do Aerosmith, que gastará mais de R$ 7 milhões em um concerto gratuito no Havaí - tudo para serenar os ânimos de fãs revoltados com o cancelamento de um show da banda, em 2007.