Agente garante que Jennifer Lopez não sabia das violações aos direitos humanos que acontecem no Turcomenistão

A cantora fez uma polêmica apresentação no aniversário do líder autoritário do país

Redação Publicado em 02/07/2013, às 08h47 - Atualizado às 09h01

Jennifer Lopez
AP

De acordo com a agência Reuters, a cantora Jennifer Lopez não sabia das violações aos direitos humanos que acontecem no Turcomenistão e não teria feito um show no aniversário do líder autoritário do país, caso soubesse.

Ela foi muito criticada pelos ativistas que acusam o governo turcomeno de reprimir a liberdade de expressão. Na plateia do show, realizado por ela no último fim de semana e organizado por executivos da empresa petrolífera chinesa CNPC, estava o presidente do país, Gurbanguly Berdimuhamedow, para quem ela cantou “Happy Birthday” após um pedido de última hora feito pelos anfitriões.

O show foi realizado durante a festa de comemoração do 56º aniversário de Berdymukhamedov em um resort de Avanza, zona turística do país localizada na costa do Mar Cáspio.

"O evento foi avaliado por representantes dela, se houvesse conhecimento de qualquer tipo de questões de direitos humanos Jennifer não teria comparecido", disse o agente dela, Mark Young, em nota. "Não foi um evento patrocinado pelo governo ou de natureza política", acrescentou.

A ONG Human Rights Watch caracteriza o Turcomenistão como um dos mais repressivos do mundo. A subdiretora da HRW para a Europa e Ásia Central, Rachel Denber, elogiou Lopez pelas explicações, mas acrescentou: "Bastam alguns cliques no Google para examinar o histórico de direitos humanos dele. É difícil entender a razão pela qual [artistas] gravitam na direção desses líderes desagradáveis. Vale observar que esses líderes querem a notoriedade pública e prestígio que essas celebridades oferecem".