Albert Hammond Jr. diz que os outros integrantes do Strokes temiam a morte dele

Guitarrista da banda, que recentemente lançou um EP solo, era viciado em cocaína, heroína e cetamina

Redação Publicado em 14/10/2013, às 12h20 - Atualizado às 12h24

Albert Hammond Jr
Dave Martin / AP

Albert Hammond Jr. revelou que esteve próximo da morte durante os últimos anos, quando abusou do uso de substâncias ilícitas, como cocaína, heroína e cetamina. Em entrevista ao The Talks, o guitarrista do Strokes revelou que os companheiros de banda pediam para que ele deixasse a banda de lado e pensasse na saúde. “Acho que todos estavam preocupados que eu fosse me matar”, disse ele.

Arquivo RS: em 2003, o Strokes enfrentava o tabu do segundo disco e lutava para ganhar respeito da crítica. Enquanto isso, o vocalista Julian Casablancas fazia todo o esforço do mundo para não ser compreendido

“Eu fiz algumas loucuras, algumas delas não tenho orgulho. Sabe, eu cheguei a ponto de ficar insano, ouvindo vocês porque estava drogado por muito tempo, movia as coisas de lugar e me trancada nos quartos por um longo período de tempo”, disse ele. “Eu comecei a amar o lado negro disso tudo, comecei a amar injetar drogas – gostava mais do processo de injetar do que das drogas em si.”

De acordo com ele, os integrantes do Strokes estavam preocupados com o estado de saúde dele. “Eu não ia me matar de propósito, mas cheguei a um ponto em que você apenas não vê mais as coisas e simplesmente para de ligar”, diz ele.

“Todos me disseram que a amizade vinha antes da banda. Todos me disseram, como amigos: ‘eu não quero ver você desta forma, esqueça a banda’. Uma grande parte de mim estava naquela banda, mas a vida não é simplesmente aquilo que você faz. Eu sentia que a nossa cultura dizia ‘você é o que você faz’, mas eu não acredito nisso.”

Ele mesmo admite não conseguir entender como sobreviveu aos abusos. “Não sei como eu continuava acordando”, disse Hammond Jr.. O músico recentemente lançou o EP AHJ, lançado pelo selo do vocalista de Strokes e amigo dele Julian Casablancas, o Cult Records.

Ouça o EP AHJ: