Albert Hammond Jr., do Strokes, revela abuso de drogas na década passada

“Costumava cheirar cocaína, heroína e cetamina. Tudo junto. De manhã, à noite, 20 vezes por dia”, disse o guitarrista

Redação Publicado em 04/09/2013, às 16h50 - Atualizado às 17h46

Albert Hammond Jr
Dave Martin / AP

Depois de dois trabalhos solo, Albert Hammond Jr., mais conhecido por atuar como guitarrista do Strokes, está prestes a disponibilizar mais músicas inéditas em um novo EP. E aproveitou a oportunidade para falar com a revista britânica NME e revelar abertamente a difícil relação que teve com as drogas durante a década passada.

Acredite se quiser: dez artistas que amamos e nunca chegaram ao topo da parada nos EUA, como o Strokes.

“Costumava cheirar cocaína, heroína e cetamina. Tudo junto. De manhã, à noite, 20 vezes por dia. Sabe, eu era uma bagunça. Olho para trás e nem sequer me reconheço”, afirmou o guitarrista, que revelou ainda o motivo para ter usado constantemente, na época do lançamento do álbum Room on Fire (2003), camisas de manga comprida. “Eu lembro que mostrava música para alguém e estava usando manga curta e tinha um monte de marcas roxas. As pessoas começaram a comentar: ‘Você viu o Albert, não parece louco?’. Então, aprendi a usar mangas compridas.”

O EP, que tem o título AHJ, conta com cinco faixas e será lançado no dia 8 de outubro. Em março deste ano ele lançou com os companheiros de Strokes o disco Comedown Machine, mas a banda não se reuniu para uma turnê.