Além de Chega de Saudade: 8 músicas para entender João Gilberto

O músico apresentou o estilo para o mundo e moldou toda a música brasileira que veio depois - e morreu aos 88 anos, deixando só a saudade

Redação Publicado em 06/07/2019, às 18h14

None
Capa do disco Chega de Saudade, de João Gilberto (Foto: Reprodução)

João Gilberto, o rei da Bossa Nova, morreu neste sábado, 6, aos 88 anos de idade. Durante mais de metade da sua vida, o músico contribui para o legado do estilo - e não à toa foi considerado pela Rolling Stone Brasil o segundo maior músico brasileiro de todos os tempos (Tom jobim, nome por trás de várias canções de João, encabeça a lista)

Foi em 1959 que João Gilberto e Chega de Saudade, seu disco de estreia, deram o primeiro passo para apresentar a Bossa Nova para o mundo. A canção principal do álbum recebeu o mesmo título. Composta por Tom jobim e Vinicius de Moraes e na voz de João, ganhou o Brasil, e pouco depois o mundo. 

+++ LEIA MAIS: Revolucionário, João Gilberto transformou o DNA musical brasileiro 

Foi a primeira de muitas a validar o talento e importância de João na Bossa Nova. Seus discos seguintes, O Amor, O Sorriso e A Flor (1960) e João Gilberto (1961) podem ser considerados como diretrizes modeladoras da Bossa Nova e consequentemente de boa parte da música brasileira. 

+++ LEIA MAIS: Interdição, briga dos filhos e reclusão: os últimos anos de João Gilberto

Montamos uma lista de oito canções para entender João Gilberto, organizadas em ordem cronológia de lançamento. Ouça:

"Desafinado" (1959):


A canção tem composição de Tom jobim e Newton Mendonça. Lançada no primeiro disco de João, Chega de Saudade, no ano seguinte. É uma afronta à crítica - que considerava a Bossa Nova música para cantores ruins e desafinados. Por isso, é apresentada com melodia estranha, desafinada de propósito, e uma composição bem diferente de todas as conhecidas. Foi regravada em 1962 por  Stan Getz e Charlie Byrd para o disco Jazz Samba - e mostrou ao mundo para o que a Bossa Nova veio.

"Chega de Saudade" (1959): 

 


Composta pelos grandes Tom jobim e Vinicius de Moraes, foi primeiro apresentada à Elizeth Cardoso, e posteriormente ficou conhecida pela versão de João Gilberto. Lançada no primeiro disco homônimo, logo conssagrou o cantor na Bossa Nova. 

"Bim Bom" (1959):


Bim, bom. É só isso meu bailão. Canção escrita por João, simples, mas cativante. A música chamou atenção das pessoas ao mostrar uma ótima batida da Bossa Nova. Essas e outras de Chega de Saudade deixaram João mostrar o novo ritmo para o Rio de Janeiro - o passo 1 para a posterior fama. 

"Samba De Uma Nota Só" (1960):


A canção, também composta por jobim, veio no disco O Amor, O Sorriso e A Flor. Também apareceu no Jazz Samba, e o EP ganhou um Grammy. E então, a versão em inglês da música - "One Note Samba" - chegou a ser a música mais ouvida dos Estados Unidos, pela Billboard.

"Coisa Mais Linda" (1961):


A música é outra daquelas que resume toda a Bossa Nova e toda a música brasileira que veio depois. Seu violão suave com os vocais calmos, e já foi até título de filme. A composição é de Vinicius de Moraes. 

"Saudade da Bahia" (1961):


João Gilberto nasceu em Juazeiro, na Bahia. Solo abençoado e musical: de lá também veio Ivete Sangalo, Luiz Galvão e Edy Star. E uma coisa que todo mundo que sai da Bahia tem é a saudade, como já cantava a Bossa de João

"Águas de Março" (1973):


A canção foi gravada originalmente por Jobim, seu compositor, e João Bosco, em 1972. No ano seguinte, foi lançada no disco João Gilberto . A versão mais famosa dessa canção, na voz de Elis Regina, só veio no ano seguinte. Na lista de Melhores Músicas Brasileiras, a composição ocupa o segundo lugar. 

"Wave" (1977):


A música de Jobim é uma das que representa o Brasil na obra-prima Amoroso, disco de João Gilberto. O álbum orquestral tem oito faixas, entre elas "Estate", italiana, "S Wonderful", dos EUA, "Besame Mucho", bolero mexicano. Mas "Wave" (ou "Vou te Contar") foi uma das mais relevantes da coletânea - com regravações atemporais.