Além do proibidão: como Fabio Santanna reinventa bailes cariocas para trazer o verdadeiro Brazilian Boogie [ENTREVISTA]

O músico contou sobre as dificuldades de produzir o disco em isolamento e suas inspirações nos bailes black de subúrbio

Vitória Campos | @camposvitoria (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 15/02/2021, às 17h30

None
Fabio Santanna (Foto: Gustavo Schlitter)

O músico, produtor e DJ Fabio Santanna lançou na última quarta, 10, seu novo clipe "Fixação", do discoVibração. O álbum possui 14 faixas, é o terceiro - e último - volume de Live Motel, projeto lançado no qual o músico trabalha desde 2014.

Entre as três partes do trabalho, Vibraçãoé a mais brasileira: é o primeiro álbum inteiramente em português e traz uma pegada Brazilian Boogie, bem carioca, e atmosfera solar com clima de verão, mesmo com o disco produzido inteiramente em isolamento.

+++ LEIA MAIS: 10 apostas brasileiras do YouTube Music para 2021 [LISTA]

Em entrevista à Rolling Stone Brasil, Fabio Santanna contou sobre suas inspirações, como os bailes black do Rio de Janeiro marcam seu som e também sobre dificuldades do processo de produção do disco durante a quarentena - o músico realizou, sozinho, a composição, produção e execução das músicas. 

Interferências do isolamento na música

Para Santanna, a limitação de estar sozinho não prejudicou a forma de produzir música, “mas criou uma nova linguagem para o disco e estímulo para usar a criatividade." Mesmo filmando e editando sua participação nos clipes, gravados no próprio estúdio (apelidado pelo cantor de "Na Nave Estúdio"), o músico intitula a experiência como “válvula de escape” e “local de alento”.

+++ LEIA MAIS: Alok explode no Spotify e ‘Hear me Now’ vira música brasileira mais ouvida da plataforma

O clipe “Fixação”, por exemplo. A música fala de amor ("Mas faço força pra não te ligar, baby / Mas como eu faço se estou em suas mãos") e o vídeo exigia uma personagem central, imaginada desde o príncipio como Janaína Diniz, amiga de Santanna. Infelizmente, a modelo baiana se encontrava em Londres, Inglaterra, e não conseguiu vir ao Brasil para filmar o clipe devido à pandemia.

Com isso, o DJ pediu para Janaína fazer suas cenas diretamente da Europa e, assim, editou e inseriu as imagens no clipe, juntamente com as cenas gravadas no Brasil. “A distância física só colaborou, pois ajudou a trazer certa sensação da personagem estar no imaginário, na fixação, no amor platônico” disse. 

Santanna também considera a pandemia responsável por mudanças na recepção do disco pelo público. “A gente vivia em um mundo muito acelerado, as pessoas não tinham mais tempo para focar em nada e, com [o isolamento], puderam ouvir mais e desacelerar.”

+++ LEIA MAIS: Rapper apaixonado: conheça Bin, destaque do novo hip-hop que já cantou com Anitta e Papatinho [ENTREVISTA]

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

 

Os Bailes Black como grande inspiração

Santanna possuía os bailes de subúrbio e da Zona Sul do Rio de Janeiro como grandes inspirações presentes nas músicas. “Vibração faz questão de resgatar nossas referências como Marco Valle e Lincoln Olivetti, principalmente do Rio e dos bailes black, uma formação muito importante da minha vida como músico”, comentou.

Ao comentar sobre a nomenclatura de Brazilian Boogie, ritmo bem carioca presente nos bailes black, com sintetizadores, vocais, falsetes, guitarras e linha de baixo, o DJ afirmou: “Falar disto faz um link natural comigo, reverbera muito na minha música e estética. Além disto, é importante para mim como negro, pois o social do negro é de extrema importância por dar chance de terem outras oportunidades de vida e entretenimento.”

+++ LEIA MAIS: Duda Beat entrevista Nando Reis, Nando Reis entrevista Duda Beat - e, juntos, lançam EP com hits de ambos

"Fixação"

Ao falar do novo clipe, Santanna contou sobre como trouxe o clima de verão em um vídeo gravado entre quatro paredes. “A música por si só já remete a essa vibe, e incluí tons laranja, rosa, e cenas de mar, ajudando a trazer o clima de calor, de verão, pois não podíamos filmar numa locação externa naquele momento”, disse.

O músico também comentou sobre o processo criativo na hora de pensar a estética do clipe  "Fixação", sexta música do disco: “Queria algo com um lance solar, de liberdade no Rio de Janeiro, de cor neon dos anos 1980.”

+++ LEIA MAIS: Os melhores de 2020 da APCA: Caetano Veloso, Teresa Cristina, Kiko Dinucci e Jup do Bairro

Futuros lançamentos

Para os dois próximos clipes, “Se a Sua Estrela Não Brilha” e “Balanço Zona Sul”, Santanna criou uma “estética contemporânea e afrofuturista, cheia de balanço e negritude.” "Se a sua Estrela não Brilha" deve ser lançado no dia 25 de fevereiro de 2021 e vem como um recado bem direto: “É uma provocação para aquela galera sempre na surdina, torcendo contra" e “Balanço Zona Sul” é uma homenagem à vida de Santanna pelos bailes.


+++ HUNGRIA HIP HOP: 'SOU APEGADO EM SORRISOS QUE A MÚSICA PODE LEVAR' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL