Alfonso Cuarón nega que irá dirigir novo filme baseado no universo de Harry Potter

“Neste momento, projetos que envolvem muitos efeitos visuais não me atraem”, disse ele

Redação Publicado em 26/05/2014, às 16h45 - Atualizado às 16h52

O uniforme de Harry Potter: O traje oficial da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts (especialmente o que tem as cores da Grifinória) se tornou, provavelmente, o uniforme escolar mais famoso do cinema.
Reprodução

Alfonso Cuarón não dirigirá o novo filme baseado no universo de Harry Potter, Animais Fantásticos e Onde Habitam. Depois da jornalista Nikki Finke escrever no twitter que o cineasta mexicano estava em negociações profundas com a Warner Bros., o vencedor do Oscar de melhor diretor em 2014 por Gravidade negou a informação em uma entrevista com a EFE. Cuarón dirigiu o terceiro filme da cinessérie original, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, lançado há dez anos.

As mais deliciosas comidas e bebidas criadas na ficção.

“[Dirigir Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban] foi uma experiência muito bonita para mim”, disse ele. “Eu tenho muito amor por aquele universo e eu admiro muito J.K. Rowling, mas hoje, neste momento, projetos baseados em muitos efeitos visuais não me atraem... Estou saindo de um processo de cinco anos fazendo efeitos especiais e agora eu meio que quero diferente.”

A Warner trabalhará para que o filme chegue aos cinemas em 18 de novembro de 2016. Ainda foi noticiado que o produtor do longa será anunciado em setembro deste ano. A adaptação do “livro didático” Animais Fantásticos e Onde Habitam, usado pelos jovens bruxos na escola de magia Hogwarts, cuja história se passa 70 anos antes de Harry Potter nascer, será dividida em três longas-metragens.

Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 traz aos fãs da saga a catarse pela qual esperaram por mais de uma década.

O livro em questão aparece dentro do primeiro Harry Potter, e é um material de estudo em Hogwarts. J.K. Rowling, autora da saga principal, escreveu o livro, mas o assinou como Newt Scamander, e o personagem também estará nos filmes.

Esta obra e Quadribol Através dos Séculos, que seguiu a mesma lógica de "livro fictício", fizeram parte do projeto Comic Relief, com a renda revertida para os trabalhos da instituição de caridade.