Alfred Hitchcock, o mestre do suspense, morreu há 30 anos

Com um legado de mais de 60 filmes, o diretor marcou a história do cinema; Psicose, Os Pássaros e Janela Indiscreta estão entre seus maiores clássicos

Da redação Publicado em 29/04/2010, às 20h33

Cena do assassinato no chuveiro, em Psicose, é uma das mais clássicas da história do suspense

Ver Galeria
(6 imagens)

Exatamente no dia 29 de abril de 1980 morria o pai do suspense. Durante seus 81 anos de vida, Alfred Hitchcock dirigiu filmes e criou características que marcariam para sempre a história do cinema e, principalmente, do gênero de suspense. Basta lembrar de algumas das cenas clássicas de seus filmes: o assassinato no chuveiro, em Psicose, o ataque dos pássaros na festa de criança, em Os Pássaros, ou o momento em que Dina Day toca "Que Será Será" no piano, em O Homem que Sabia Demais.

Em seus filmes não é possível ver vampiros, fantasmas ou monstros com poderes. Na verdade, suas obras concentram o suspense no clima de tensão, na música com batidas fortes, no olhar dos protagonistas ou simplesmente nas características psicológicas dos personagens. A ansiedade do espectador aumenta aos poucos, na medida em que o ator se aproxima do perigo. Outra característica comum em suas tramas é quando são apresentadas informações ao telespectador que o personagem do filme não sabe, criando uma tensão ainda maior - como quando é possível ver a porta se abrir ou a sombra do assassino na cortina do banheiro, no caso de Psicose.

Alfred Hitchcock viveu dividido entre dois países. Nasceu em Londres, no dia 13 de agosto de 1899, onde deu seus primeiros passos no cinema, mas foi nos Estados Unidos que criou seus maiores clássicos. Uma das maiores marcas de Hitchcok eram suas aparições nos filmes. No entanto, é difícil identificar o diretor à primeira vista, até porque, muitas vezes ele aparece de costas, de longe ou passando rápido pela câmera. Veja abaixo um vídeo com a compilação de vários momentos em que isso acontece:

Foi em 1920, na Inglaterra, que Hitchcock se interessou pela indústria cinematográfica. Começou fazendo filmes mudos para a Paramount Pictures e logo estava desenhando sets e criando o design de títulos para alguns filmes. Sua primeira criação foi Number 13, em 1922, mas o projeto foi abandonado antes mesmo de ser finalizado, já que o estúdio fechou as portas. Depois, passou a ser assistente de direção e a atuar como roteirista e diretor de arte.

Finalmente, em 1925, Hitchcock iniciava a carreira de diretor, com a produção de The Pleasure Garden. Influenciado pelos assassinatos do personagem Jack, o Estripador, sua estreia no gênero de suspense se deu com o filme O Inquilino (1927). Nesta época, o diretor casou com Alma Reville e teve a única filha, Patricia, que chegou a atuar em alguns de seus filmes.

Filmes

O Homem que Sabia Demais (1934), um sucesso comercial e de crítica, estabeleceu um dos padrões preferidos de Hitchcock: a investigação da relação familiar dentro de uma história de suspense. Mas Os 39 degraus (1935) foi o filme que mais se destacou no período em que o cineasta morou na Inglaterra. Isto porque, ele usou pela primeira vez a técnica MacGuffin, criada por ele mesmo para nomear o momento em que inseria um objeto como pretexo para desenrolar a trama, mas que, na verdade, não tinha imporância no conteúdo.

Todas as contribuições de Hitchcock ao cinema chamaram a atenção, claro, da indústria de Hollywood. Em 1939, o cineasta mudou-se para os Estados Unidos, tornando-se cidadão norte-americano em 1955. Seu primeiro filme na terra do Tio Sam foi Rebecca (1940), que rendeu sua primeira indicação ao Oscar como diretor (Hitchcock nunca ganhou o prêmio de melhor diretor).

Festim Diabólico (1948), primeiro filme colorido do cineasta, foi outro marco em sua carreira. O longa foi feito no chamado plano-sequência (sem cortes). Além disso, a trama fazia referências a Nietzsche e ao homossexualismo - algo fora do comum para a época. Já a primeira cena do filme mostra os protagonistas escondendo um amigo dentro de um baú, dando a entender que tinham acabado de matá-lo. Durante 80 minutos, o filme mostra uma festa realizada na sala onde está o "caixão" fatídico, causando a grande tensão da trama. Assista abaixo esta cena:

Mas foi nas décadas de 50 e 60 que Hitchcock consagrou-se como o grande nome do cinema de suspense. Em 1954, saia do forno Disque M Para Matar, que contou pela primeira vez com Grace Kelly no papel principal, se tornando a atriz favorita do diretor. No mesmo ano, Hitchcock lançou Janela Indiscreta, com James Stewart e Kelly. O filme, um dos mais conhecidos, acontece o tempo todo nos arredores da janela do protagonista, que, por quebrar a perna, passa a observar a vizinhança com um binículo, descobrindo uma possível tentativa de assassinato. Assista abaixo à uma das cenas mais tensas do filme e, logo em seguida, ao momento clássico do beijo entre os protagonistas:

O sucesso do cineasta aumentava ainda mais em 1955, quando ganhou um programa de televisão apresentado por ele, chamado Alfred Hitchcock Presents..., que, a cada episódio, trazia uma nova história de suspense. O programa semanal foi ao ar até 1961, nos EUA.

Em 1956, Hitchcock refilmou O Homem que Sabia Demais, desta vez com James Stewart e Doris Day nos papéis principais. No filme, Doris aparece cantando a música "Que Será, Será" ("Whatever Will Be, Will Be"), para abafar o barulho que seu filho faz enquanto está trancado no quarto:

No entanto, os filmes mais populares do cineasta apareceriam mais tarde: Psicose (1960) e Os Pássaros (1963). O primeiro mostra uma das cenas mais famosas da história do suspense, em que a personagem de Janet Leigh é assassinada a facadas enquanto está tomando banho. A cena, que tem duração de cerca de 2 minutos, mostra, pela primeira vez, um olho aberto para indicar que a pessoa está morta. Assista abaixo:

Baseado em um conto de mesmo nome, da escritora britânica Daphne Du Maurier, Os Pássaros inovou na trilha sonora e em efeitos especiais. O filme trazia a história de uma cidade sitiada por pássaros que começam a atacar a popução. A protagonista Tippi Hedren, mãe da atriz Melanie Griffith, foi descoberta por Hitchcock nesta época. Assista abaixo à uma das cenas mais famosas, quando a multidão de pássaros ataca as crianças que estão em uma festa:

Intriga Familiar (1976) encerrava a colaboração do cineasta para o universo do cinema, já que, quatro anos depois, Hitchcock morreria de insuficiência renal. Mesmo assim, sua popularidade, influência e legado de mais de 60 filmes permanecem até hoje.