Alice Cooper rebate Gene Simmons sobre 'rock estar morto': 'Garotos estão aprendendo hard rock agora'

Cantor afirma que o gênero continuará vivo por mais 30 ou 40 anos

Itaici Brunetti | @itaicibrunetti Publicado em 04/03/2021, às 11h54

None
Alice Cooper (Foto: Action Press/Rex/Shutterstock/AP) / Gene Simmons (Foto: Sthanlee B. Mirador/Sipa via AP Images)

Alice Cooper deixou claro que não concorda com a recente declaração de Gene Simmons, do Kiss, em que afirma que o "rock está morto". Para o "pai do rock horror show", os garotos estão aprendendo sobre hard rock agora e, por causa disso, o gênero continuará vivíssimo por muito tempo. 

"Gostaria que Gene Simmons pagasse os meus impostos porque ele é um empresário e isso é válido, mas garanto a você que em algum lugar de Londres, nas garagens, tem garotos conhecendo Aerosmith e Guns N' Roses agora", disse Alice Cooperem entrevista à NME

+++LEIA MAIS: Alice Cooper recebe vacina contra Covid-19 e pede para as pessoas fazerem o mesmo

Tia Alice continuou: "Tem um monte de garotos de 18 anos que estão lá com as suas guitarras e baterias aprendendo o que é o hard rock. E acontece o mesmo nos EUA: há todas essas bandas novas que querem ressurgir com aquela fase do hard rock". 

Com um novo álbum recém-lançado, Detroit Stories (2021), o cantor ressaltou que "o rock e o hard rock estão longe de acabar e continuarão existindo por mais 30 ou 40 anos no mínimo". 

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

"O único tipo de música que surgiu e nunca desapareceu foi o hard rock. Veio o punk, a música disco, o hip-hop e o grunge, mas o único gênero que passou por tudo isso foi o hard rock", afirmou Alice Cooper. 

"Não estamos no Grammy e nem no mainstream. O rock 'n' roll está do lado de fora olhando para dentro agora, e isso nos dá aquela sensação de atitude fora da lei", finalizou. 

+++LEIA MAIS: Alice Cooper comenta acusações de abuso contra Marilyn Manson: 'Nunca percebi esse traço'


+++ FBC E VHOOR REFLETEM SOBRE HIP-HOP: 'MÚSICA É PARA SER SENTIDA' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL