Amigos e parentes prestam as últimas homenagens a Chico Anysio

Redação Publicado em 24/03/2012, às 18h16 - Atualizado em 26/03/2012, às 10h25

Chico Anysio
Divulgação
Velório do humorista aconteceu na tarde deste sábado, 24, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro; Marília Pêra, Glória Pires, Natália Thimberg, Arlete Salles, Leandro Hassum, Marcelo Madureira, Hélio de La Peña, Tom Cavalcanti, Daniel Filho, Boninho, o governador Sérgio Cabral e outros estiveram no local para se despedir dele

A tarde deste sábado, 24, foi marcada pelas homenagens a Chico Anysio em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, onde aconteceu o velório do humorista, a classe artística compareceu em peso. A despedida a Chico aconteceu no Theatro Municipal. Desde cedo, alguns milhares de fãs estiveram na porta do local, empunhando cartazes e prestando homenagens. O corpo do comediante deixou o Hospital Samaritano antes das 6h e inicialmente o espaço do velório estava aberto apenas para familiares e amigos. Às 13h30, as portas foram abertas para que o público pudesse se despedir. As informações são dos portais Uol, Terra e G1.

Os atores Bruno Mazzeo e Nizo Neto, filhos de Anysio, foram os primeiros a chegar. Outros familiares que passaram pelo funeral foram o diretor Zelito Viana, irmão do humorista, os sobrinhos Marcos Palmeira (ator) e Cininha de Paula (diretora), Maria Maya (atriz), a ex-ministra Zélia Cardoso (ex-esposa) e os filhos que ela teve com ele.

Dentre os outros amigos presentes estavam as atrizes Marília Pêra, Glória Pires, Natália Thimberg, Arlete Salles, os atores Emilio Orciollo Neto, Marcos Veras, Marcius Melhem, Leandro Hassum, Marcelo Madureira, Hélio de La Peña, Tom Cavalcanti, o cantor Elymar Santos, os diretores Daniel Filho e Boninho, e o governador Sérgio Cabral, entre outros.

Nem todos os presentes aceitaram falar com a imprensa. Glória Pires foi uma das que disseram algumas palavras finais sobre o artista. "O trabalho do próprio Chico fala por si só. A obra dela diz mais do que qualquer outra coisa. Vamos usar o You Tube para vê-lo e matar a saudade", comentou a atriz em entrevista ao G1. "Ele era um gênio que vai ficar para sempre. Os personagens e a história dele vão ficar para sempre. Tenho milhões de lembranças dele. Na minha infância gostava do Azambuja. Ele se transformava de cara limpa", declarou ao mesmo portal o diretor Boninho.

O comediante Marcos Veras relatou ao Uol que "mesmo com todo mundo triste, lá dentro estão todos contando piada, relembrando momentos engraçados de Chico. Ainda há humor". "O velório é um misto de humor e tristeza. De certa forma, já esperávamos. É um triste alívio", disse o humorista Hélio De La Peña, da trupe Casseta & Planeta. Já o ator Leandro Hassum falou que lá dentro o clima era “bom, de família se despedindo. Tristeza sim, mas com um astral legal".

Chico Anysio morreu na tarde da última sexta, 23, depois de três meses de internação. A causa da morte foi uma parada cardiorrespiratória decorrente de falência múltipla dos órgãos, resultado de choque séptico causado por infecção pulmonar. O corpo será cremado às 13h deste domingo, 25, no Cemitério do Caju, no Rio. A pedido de Chico, metade de suas cinzas fossem serão levadas para Maranguape, no Ceará, onde ele nasceu, e a outra metade será espalhada no Projac, a central de estúdio da TV Globo.