Amy Lee reflete sobre perda de dois irmãos: 'Sentia-me estranha em dias lindos'

Cantora perdeu a irmã Bonnie quando criança e o irmão Robby em 2018

Redação Publicado em 07/07/2021, às 10h56

None
Amy Lee (Foto: Frederick M. Brown/Correspondente)

Amy Lee, durante entrevista ao podcast Hardcore Humanism, refletiu sobre a perda de dois irmãos, Bonnie e Robby. Também falou sobre como temia esquecer a dor da perda - dessa forma, a cantora sentiu que abandonar a tristeza acabaria com a capacidade de se sentir conectada ao eu autêntico.

Bonnie morreu ao três anos, em 1987, em decorrência de uma doença não revelada, e Robby faleceu após lutar contra uma epilepsia severa durante a maior parte da vida. "Passei por algumas situações na minha vida. Perdi minha irmã quando tinha seis anos e então, em um mundo completamente diferente, tantos anos depois e em uma situação totalmente diferente, perdi meu irmão, apenas em 2018," disse a Michael Friedman.

+++LEIA MAIS: Amy Lee desabafa sobre falta de mulheres no rock: 'Honestamente, as mulheres são ignoradas'

"É como quando a pior situação possível na qual você poderia temer se torna realidade. Vi os momentos nos quais isso pode acontecer. Não estou sozinha nisso," continuou. "Para mim, passar e sobreviver a isso, ser capaz de encontrar uma maneira de fazer a vida ter sentido depois, é realmente disso que falo. É como se o mundo continuasse vivendo como se nada tivesse dado errado."

Amy Lee também comentou como, depois da morte dos irmãos, sentia-se "muito estranha em dias lindos e ensolarados quando era criança." Também explicou como lida com o luto: "Ser capaz de derramar minhas entranhas melhora - especialmente compartilhar isso com outras pessoas."

+++LEIA MAIS: Quem inspirou Amy Lee a escrever 'Bring Me To Life,' do Evanescence?

Esse sentimento ruim da cantora virou música. Lee decidiu processar as maiores feridas e desafios da vida para transformar a dor em algo amável. "O presente ainda maior é ser capaz de ver outro amor por aquela canção e fazê-la conversar [com o público] em um nível tão saudável e bom."

Para a artista, é importante enfrentar a escuridão e os demônios internos, porque, caso não encararmos, "viveremos  uma mentira e deixaríamos essas sensações negativas borbulharem sob a superfície."

+++LEIA MAIS: Jack Black, Amy Lee e mais transformam 'I Wanna Be Sedated', dos Ramones, em prol da vacina; ouça


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL