Andy White, baterista que tocou em “Love Me Do”, dos Beatles, morre aos 85 anos

Músico também contribuiu com “P.S. I Love You”, em uma sessão de estúdio de 3h de duração em 1962, tornando-se um “quinto Beatle”

Rolling Stone EUA Publicado em 11/11/2015, às 16h58 - Atualizado às 17h32

Os Beatles invadem a América 1964
Getty Images

O escocês Andy White, músico de estúdio que tocou bateria no single de estreia dos Beatles, “Love Me Do”/ “P.S. I Love You”, morreu na última segunda-feira, 9, em Nova Jersey, depois de sofrer um grave derrame. Ele tinha 85 anos de idade.

Veja as 10 melhores trocas de instrumentos dos Beatles.

A família de White confirmou a informação da morte à BBC apenas nesta quarta-feira, 11. Eles disseram que o músico seria lembrado pela “incrível humildade e simplicidade em relação às suas muitas realizações”. White deixou sua marca na história ao gravar a bateria no primeiro single dos Beatles.

“Love Me Do” foi inicialmente registrada durante a audição da banda no estúdio EMI, em Londres, em junho de 1962, com Pete Best na bateria. Três meses mais tarde, depois de os Beatles fecharem o contrato, o novo baterista Ringo Starr tocou na faixa durante uma sessão em 4 de setembro de 1962, mas o produtor George Martin estava insatisfeito com os resultados.

Mais de 45 anos depois, entenda os mistérios por trás da capa de Abbey Road.

Veterano baterista de estúdio, White foi então chamado para tocar em uma sessão em 11 de setembro na EMI, em Abbey Road. A White foi pago £5 por três horas e ele não recebeu direitos autorais por ter tocado no lendário lançamento. As versões com White também apareceram no disco de estreia dos Beatles, Please Please Me. Starr continua creditado em ambas as faixas, mas tocando tamborim em “Love Me Do” e chocalhos em “P.S. I Love You”.

Segundo a BBC, White ainda insistiu que ele aparece na música “Please Please Me”, dos Beatles, mas Starr é quem está creditado como baterista na faixa. Independente disso, a breve contribuição de White com o Fab Four solidificou o legado dele como um dos “quinto Beatles”, um clube que inclui Stuart Sutcliffe, Pete Best e Jimmie Nicol.

Lembre como foi o show de Paul McCartney em 2014, no estádio do Palmeiras.

Além do trabalho com os Beatles, White também apareceu no hit de 1965 “It's Not Unusual”, de Tom Jones, bem como em faixas de Rod Stewart, Chuck Berry, Herman's Hermits e Lulu. Quando mais velho, White se mudou para os Estados Unidos com a esposa, a dubladora Thea White, e tornou-se um instrutor de bateria, tendo Steven Van Zandt, da E Street Band, ente seus pupilos.