Anime e mangá de My Hero Academia são banidos da China por referência à Segunda Guerra Mundial; entenda

As plataformas de veiculação chinesas retiraram o conteúdo do ar por não estar de acordo com as políticas do país

Redação Publicado em 06/02/2020, às 13h15

None
My Hero Academia (Foto: Reprodução)

[Atenção: essa publicação tem spoilers de My Hero Academia]

A China proibiu a veiculação do mangá e anime My Hero Academia por causa de uma referência aos crimes cometidos contra a população chinesa durante a Segunda Guerra Mundial.

A 259º edição do mangá revelou que o verdadeiro nome do vilão da narrativa, conhecido pelo pseudônimo Daruma Ujiko, é Maruta Shiga. O problema é que "maruto" era o termo utilizado pela unidade 371 do exército imperial japonês para se referir às vítimas chinesas de experimentos e torturas.

+++ LEIA MAIS: Anime de The Witcher na Netflix contará a história de mentor de Geralt de Rivia; conheça

No período da guerra, crianças, idosos, mulheres grávidas e deficientes mentais eram submetidos a experimentos de infecção, amputação, dissecação e até lobotomização enquanto ainda estavam vivos.

No mangá, o próprio vilão é resultado de um experimento e comete práticas similares contra os inimigos.

Pouco tempo depois da divulgação do material, os sites de veiculação de mangás e animes Bilibili e Tencent Comics receberam inúmeras críticas dos leitores e espectadores. As plataformas, então, retiraram o conteúdo do ar e o site Bilibili declarou que o mangá não estava "de acordo com as políticas da China".

+++ LEIA MAIS: 7 animes que vão ganhar adaptações live-action: Akira, Naruto, Death Note (de novo) e mais

Além disso, o videogame My Hero Academia: Strongest Hero, que estava em desenvolvimento, foi retirado da página oficial do estúdio chinês Xin Yuan. 

Em resposta, o criador do mangá, Kōhei Horikoshi, e o estúdio Shueisha pediram desculpas e garantiram que o nome do personagem será alterado nos próximos capítulos. O artista ainda ressaltou que não tinha intenção de fazer referência aos crimes cometidos pelo exército japonês.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL