Após petição, Dave Grohl defende escalação de Kanye West no Glastonbury

“O show dele atrai mais atenção do que qualquer outra coisa”, afirmou o músico

Redação Publicado em 12/06/2015, às 11h30 - Atualizado às 14h37

Kanye West
Charles Sykes/AP

O líder do Foo Fighters, Dave Grohl, comentou a tão polêmica escalação de Kanye West como uma das atrações principais do festival britânico Glastonbury. “Para mim, não há nada mais rock do que vê-lo em cima do palco tocando para 100 mil pessoas depois de muitos deles terem assinado uma petição para ele não estar lá.”

Mais recente show do Foo Fighters em São Paulo teve tombo e pedido de casamento; lembre como foi.

A entrevista foi dada por Grohl ao jornal britânico The Sun. O músico – que também fecha uma das noites da edição 2015 do festival – falou a respeito da petição assinada por mais 100 mil pessoas pedindo aos organizadores para que não escalassem o rapper norte-americano. Emily Eavis, umas das responsáveis pela curadoria do evento, chegou a receber ameaças de morte.

Grammy 2015: Paul McCartney, Rihanna e Kanye West levam parceria inusitada ao palco da premiação.

“O show dele atrai mais atenção do que qualquer outra coisa”, disse Grohl, apontando que “talvez sua personalidade seja mais difícil de engolir do que sua música”. “Quem sabe o que vai acontecer? Ele pode subir ao palco e ter 100 mil pessoas jogando garrafas nele ou pode mostrar ao mundo que nada mais importa, exceto aquele momento. E tenho certeza de que é isso o que ele fará.”

Além do Foo Fighters e de Kanye West, o Glastonbury 2015 terá o The Who como um dos headliners.