Após polêmica de Phil Anselmo, Corey Taylor fala sobre combater racismo no metal

“Este é um problema maior do que o que aconteceu naquela noite”, disse o vocalista do Slipknot

Rolling Stone EUA Publicado em 10/02/2016, às 16h21 - Atualizado às 16h41

Corey Taylor, vocalista de Slipknot e Stone Sour
Chris Pizzello/AP

O líder do Slipknot, Corey Taylor, falou abertamente sobre racismo na comunidade do metal após os atos de Phil Anselmo no Dimebash deste ano, comentando o que o Slipknot está fazendo para erradicar a intolerância no próprio público da banda.

Assista ao vídeo em que Phil Anselmo faz saudação nazista no Dimebash.

“Não quero de maneira alguma que nossos fãs sintam que estamos os julgando por causa da cor da pele, religião, cultura, formação, etc”, disse Taylor em entrevista ao jornal britânico The Guardian. “Recebemos todos, sempre recebemos e sempre receberemos.”

Ainda que Taylor não tenha falado especificamente sobre a situação de Anselmo – segundo ele, porque ele não estava no Dimebash e não assistiu ao vídeo do incidente –, o vocalista do Slipknot comentou sobre o racismo no heavy metal de uma maneira mais geral.

Slipknot superou morte de baixista para fazer o álbum mais honesto da carreira.

“Este é um problema maior do que o que aconteceu naquela noite”, disse Taylor. “O Slipknot se dedicou a unir as pessoas, combater o racismo e o ódio em geral desde o dia que começamos. Não tenho tempo para pessoas que julgam outras pessoas pela cor da pele. Se isto, por si só, ofende alguns dos meus fãs, então me desculpe, mas vocês estão errados.”

Taylor reconheceu que o racismo é um problema que afeta a todos os gêneros musicais, incluindo uma pequena fração da comunidade do metal. Entretanto, o vocalista garante que continuará se esforçando para combater o racismo entre os próprios fãs.

Integrantes do Slipknot contam como é usar máscaras no palco por 20 anos.

“Sei que há um problema no metal e isso tudo vem, pelo menos nos Estados Unidos, de onde você é e qual cultura é passada adiante: pais, membros da família, amigos, adultos. É uma coisa geracional”, disse Taylor. “Pensei que estávamos perto de eliminar isso, mas, infelizmente, foi provado que eu estava enganado.”

Ele acrescentou: “Então decidi me dedicar a batalhar contra isso. É algo geral na música, entretanto – não é uma coisa especificamente do metal. Mas isso ganhou notoriedade na comunidade do metal. Colocou a cabeça feia à mostra por causa do incidente do qual estamos falando”. Taylor se referiu ao grito de “White power” (“poder branco”, expressão comumente associada a supremacistas) e à saudação nazista de Anselmo no Dimebash.

Veja a repercussão dos atos de Anselmo no Dimebash.

Desde o acontecimento, Anselmo se desculpou pelos atos. Após o incidente, a banda dele, o Down, foi retirada da escalação do festival holandês FortaRock, e o próprio cantor disse aos companheiros de Down que poderiam continuar a tocar juntos sem ele.