Apple confirma ataque a contas de celebridades, mas nega falha em serviço

“Nenhum dos casos que investigamos foram resultados de brechas do iCloud”, afirmou representante

Redação Publicado em 02/09/2014, às 16h19 - Atualizado às 16h41

Jennifer Lawrence
AP/Arthur Mola

A Apple divulgou um comunicado sobre o roubo de fotos íntimas de mais de cem contas do serviço iCloud utilizadas por celebridades. O vazamento eclodiu no domingo, 31, quando imagens de Jennifer Lawrence, Kate Upton e Rihanna nuas foram publicadas em redes sociais.

Dez prodígios da arte e do entretenimento que chegaram muito longe muito cedo.

“Quando ficamos sabendo do roubo, nós mobilizados imediatamente os engenheiros da Apple para descobrir a fonte”, disse um representante da empresa. “A privacidade e segurança dos nossos clientes é de vital importância para nós. Após mais de 40 horas de investigação, descobrimos que certas contas de celebridades foram comprometidas por um ataque muito direcionado em nomes de usuários, senhas e perguntas de segurança, uma prática que se tornou muito comum na internet. Nenhum dos casos que investigamos foram resultados de brechas de sistemas da Apple incluindo o iCloud e o Find My iPhone. Nós estamos trabalhando com as autoridades para ajudar a identificar os criminosos envolvidos.”

Proibidos: relembre clipes que tiveram que sair do ar ou ter o conteúdo alterado.

Além de Lawrence e Rihanna, estão entre as celebridades que supostamente tiveram fotografias divulgadas nomes como Victoria Justice, Ariana Grande e Mary Elizabeth Winstead - que reconheceu que as imagens são mesmo dela. "Para aqueles que estão olhando as fotos que fiz com meu marido há alguns anos na privacidade de nosso lar, espero que estejam bem com vocês mesmos", escreveu Mary no Twitter. "Sabendo que estas fotos foram apagadas há muito tempo, só posso imaginar o esforço assustador para isto. Me sinto mal por todos que foram hackeados", completou.

Outros casos:

Em 2012, Christopher Chaney, de 36 anos, morador da cidade de Jacksonville, na Flórida, foi condenado a cumprir uma sentença de 10 anos de prisão em regine fechado por ter invadido a conta de e-mail de mais de 50 pessoas da industria do entretenimento norte-americano.

Chaney, que foi preso pelo FBI após uma longa investigação, disse que ele entrou no e-mail de nomes como Scarlett Johansson e outras estrelas do cinemas porque estava "viciado em bisbilhotar a vida delas".