Apple pode fechar o iTunes

Loja sairá do ar se corte americana aumentar valor de royalties pagos aos compositores nesta quinta

Da redação Publicado em 01/10/2008, às 15h18

A Apple anunciou nesta quarta-feira, 1, que vai fechar a loja virtual iTunes nesta quinta-feira caso três juízes do Comissão de Direitos Autorais norte-americano aumente o valor pago a cada compositor em seis centavos de dólar.

Com a mudança, a empresa de Steve Jobs pagaria 15 centavos por dólar para os compositores que têm suas músicas na loja virtual. Atualmente, a Apple repassa 9 dos 99 centavos de dólar para a classe.

O argumento da Apple é que com o aumento será impossível fazer lucro com o iTunes, hoje o maior vendedor de músicas do mundo, na frente de lojas físicas como as redes Wal Mart e Best Buy norte-americanas.

A história é antiga, e vem sendo repetida por executivos como Eddy Cue, vice-presidente da iTunes, que em 2007 chegou a afirmar que: "A Apple disse repetidas vezes que está neste negócio para fazer dinheiro, e provavelmente não continuará atuando se não for mais possível obter lucro".

Aumentar o preço das músicas não é uma alternativa da Apple, que continua levantando a bandeira de que cada canção deve ser comercializada por US$ 0,99, ou menos. Deste valor, pelo menos 65% do total já é repassado para gravadoras ou músicos.

Já há alguns anos as próprias gravadoras pedem um aumento no preço das músicas do iTunes, para os exatos US$ 1,05 que a Comissão de Direitos Autorais estuda aplicar por lei na loja virtual.

Além de desaprovar a decisão, a Apple ainda estuda uma redução de 5 centavos de dólar por música, caso resolva todas as disputas com as gravadoras e a comissão de direitos autorais.